Impacto Ambiental de Plantações Florestais

Por serem conceitualmente empreendimentos, na medida em que ocupam espaços e exigem ações para a sua implantação, manutenção e colheita, esta última de produtos madeireiros e,ou não-madeireiros, as florestas comerciais, entre elas as constituídas do gênero Eucalyptus (eucalipto), geram impactos ambientais adversos e benéficos.
Com efeito, a par da ocorrência de impactos ambientais adversos de algumas de suas atividades, reconhece-se a importância ecológica da silvicultura intensiva, na medida em que as plantações florestais desempenham funções ambientais até de âmbito planetário, como a diminuição do aquecimento global, pelo ?seqüestro? de gás carbônico. De outra parte, é óbvia a contribuição do setor para a economia nacional, pois viabiliza a oferta de produtos diversos ? papel, celulose, carvão vegetal, resina, móveis, dentre outros ? para atender os mercados interno e externo, ademais de oferecer oportunidades de emprego e renda.
No entanto, considerando a sua condição de empreendimento impactante e o advento do ambientalismo no Brasil, o setor florestal tem experimentado, há tempos, uma série de críticas ao seu conjunto de atividades (SILVA, 1994; SILVA, 1995), que certamente estão relacionadas à desinformação e, em alguns casos, à escassez de estudos que avaliem claramente todos os seus efeitos ambientais.
Neste sentido, mais recentemente, em face da instituição do Sistema Nacional de Unidades de Conservação ? SNUC - pela Lei Federal 9.985, de 18 de julho de 2000, questionamentos têm sido feitos quanto à viabilidade ambiental de se implantar e,ou manter florestas comerciais ? notadamente eucaliptais ? em zonas de amortecimento de unidades de conservação. Assim, é objetivo deste documento fornecer subsídios quanto a esta questão. Para tanto, com a finalidade de melhor esclarecer os fatos, em forma seqüencial serão incluídas informações sobre os elementos constituintes de um empreendimento florestal; seus principais impactos ambientais adversos e benéficos; e a viabilidade ambiental dos mesmos em zonas de amortecimento de unidades de conservação.