Burocracia ambiental: bom senso protege o ambiente por inteiro, o excesso de legalidade pelo “meio”.

Há muito se tem discutido sobre as modificações no Código Florestal sob o enfoque de distintos olhares, que, entretanto, acabam refletindo apenas as posições ideológicas de maior expressividade, o que torna um discurso complexo e plural em algo rígido e bipolar. Estas posições acabam permeando todo o discurso e impondo seu modo de pensar e uma visão pré-fabricada aos Operadores do Direito e aos próprios Órgãos de fiscalização do que viria a ser o Direito Ambiental.