Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


21/05/2014

Uso de resíduos de madeira tropical para a produção de painéis de EGP

Dissertação apresentada à Universidade Federal do Paraná, autoria de Vanessa Coelho Almeida, relata sobre Avaliação do potencial de uso de resíduos de madeira tropical para produção de painéis colados lateralmente ? EGP.

Imagem ilustrativa
            O gerenciamento de resíduos produzidos pela sociedade é uma necessidade e apresenta-se como um desafio para a sustentabilidade ambiental e econômica, e no setor florestal não é diferente. Na transformação da madeira bruta em produtos como peças serradas, painéis, móveis e pisos, são gerados resíduos que variam em dimensão, disponibilidade e qualidade.
            O aproveitamento dos resíduos nas indústrias de pisos de madeiras tropicais é uma ação que pode resultar em benefícios econômicos e evitar problemas sociais e ambientais, principalmente pelo fato destas indústrias utilizarem como matéria prima madeiras de espécies nativas, mesmo que oriundas de áreas com Planos de Manejo Florestal.
            Devido às dimensões das peças comumente inutilizadas pelas fábricas de pisos maciços e ao seu alto valor agregado, sugere-se, como alternativa de aproveitamento deste resíduo, a produção de painéis de colagem lateral, EGP, muito utilizados em projetos arquitetônicos e pela indústria moveleira. Os painéis EGP disponíveis no mercado brasileiro são fabricados com peças de pinus, eucalipto, teca e imbuia de diferentes dimensões. Diante deste cenário, é importante que pesquisas sejam desenvolvidas a fim de explorar a viabilidade técnica e destinação econômica para resíduos madeireiros, agregando-lhes valor e aumentando o aproveitamento da madeira na indústria.
            Esta pesquisa teve como objetivo avaliar o potencial de uso de resíduos de madeira de seis espécies tropicais (Pterogyne nitens, Patagonula sp., Tabebuia spp., Hymenaea spp., Astronium lecointei e Couratari spp.) provenientes de uma indústria de pisos para produção de painéis EGP.
            As espécies foram identificadas macroscopicamente e foram determinadas as seguintes propriedades físicas e químicas da madeira: massa específica básica, retratibilidade, teor de extrativos totais e pH. Analisaram-se a viscosidade, teor de sólidos e pH dos adesivos EPI, PU e PVAc, utilizados nas colagens. Foram produzidas juntas laterais e emendas de topo “finger joint” com os três adesivos nas gramaturas de 150 e 200 g/m2 em prensa carrossel com pressão específica de 8 kgf/cm2. Posteriormente, foram realizados ensaios mecânicos das peças coladas para a obtenção dos valores de resistência ao cisalhamento das colagens laterais e à flexão estática das emendas de topo “finger joint”.
            Os resultados indicaram que, embora as espécies sejam de média a alta massas específicas e a maioria possuir elevado teor de extrativos e retratibilidade, é possível aproveitar os resíduos destas espécies tropicais para a produção de painéis EGP, quando se utiliza, principalmente, os adesivos EPI e PU. Concluiu-se, também, que o adesivo PVAc é indicado apenas para colagem das emendas de topo “finger joint”, não apresentando bons resultados para colagem lateral, com exceção da madeira de Pterogyne nitens.
 
O trabalho na integra pode ser lido através da Biblioteca Digital Florestal.


Fonte: Josiane Almeida e Marina Lotti - BIC: Biblioteca Digital Florestal



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

23/08/2019 às 18:08

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


4212 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey