Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


25/05/2015

Temperatura de torrefação influencia nas propriedades energéticas da madeira de Eucalipto

Trabalho de conclusão de curso defendido na Universidade Federal de Viçosa, de autoria de Carlos Miguel Simões da Silva, relata sobre o Efeito da temperatura de torrefação nas propriedades energéticas da madeira de Eucalipto.

O tradicional uso da madeira como fonte energética perdeu grande parte da sua representatividade dentro do cenário mundial a partir do século XX. O principal motivo foi o desenvolvimento tecnológico de exploração e uso dos combustíveis fósseis, que em poucas décadas, assumiram o posto de fonte energética principal da matriz mundial, mantendo-se nessa liderança até os dias atuais. Porém, o uso dos combustíveis fósseis é contestado por serem fontes energéticas não renováveis e possuírem um potencial poluidor que ultrapassa o que se diz ser ambientalmente aceitável.
Neste aspecto, aumenta-se o interesse nos estudos e no desenvolvimento de fontes alternativas de energia que possam competir e até mesmo substituir, futuramente, os combustíveis fósseis. No geral, esses investimentos buscam fontes que apresentem vantagens ambientais (redução da emissão de poluentes), estratégicas (maior segurança energética aos países dependentes da importação de combustíveis fósseis) e socioeconômicas (diminuição da pobreza e acesso à energia em regiões isoladas), mantendo um padrão aceitável de qualidade energética dessa fonte alternativa. Fundamentando-se nisso, consideram-se justificáveis estudos mais detalhados visando conhecer a influência do processo de torrefação nas propriedades físicas, químicas e térmicas das madeiras submetidas a esse tipo de tratamento. Assim, o conhecimento do efeito da temperatura nas principais propriedades da madeira de eucalipto servirá como um embasamento científico para a utilização ou não dessa técnica como tratamento térmico em empreendimentos futuros do setor para a competitividade da biomassa florestal na matriz energética brasileira.
Diante deste contexto, o objetivo do presente estudo foi avaliar o efeito da temperatura de torrefação nas propriedades da madeira de eucalipto. No procedimento experimental utilizou um torrefador rotatório com aquecimento a gás GLP, empregando-se quatro tratamentos com três repetições constituídos por partículas de madeira não torrificadas e partículas torrificadas nas temperaturas de 170, 220 e 260 °C. Posteriormente, procedeu com as análises química, física e térmica das partículas.
Os resultados foram comparados entre si através da ANOVA e do teste Tukey. Comparando os extremos, a madeira “in natura” (não torrificada) e madeira torrificada a 260 °C observaram-se aumento no teor de carbono fixo de 13,0 para 24,8%, no teor de lignina de 32,7 para 52,2%, no poder calorífico superior de 4465 para 4945 kcal/kg, na densidade á granel de 239,1 para 396,0 kg/m3, na densidade energética de 882 para 1727 Mcal/m3 e redução na umidade de equilíbrio higroscópico de 12,27 para 5,69%. A torrefação apresentou um efeito positivo nas propriedades energéticas da madeira, concluindo ser um tratamento tecnicamente viável e com potencial de exploração.



Biblioteca Florestal: www.bibliotecaflorestal.ufv.br/handle/123456789/12543

Fonte da imagem: http://www.tecnologiaetreinamento.com.br/wp-content/uploads/2011/09/tecnologia-treinamento-eucalipto-madeira.jpg


Fonte: Lucas Fernandes Rocha - Bolsista BIC - Biblioteca Florestal Digital



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

25/08/2019 às 22:34

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


2614 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey