Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


02/03/2011

Silvicultura pode ajudar na ampliação da produção de mel no Brasil

Estados como Rio Grande do Sul, Espírito Santo e Minas Gerais já têm projetos em andamento.

A crescente produção brasileira de mel, que saltou de 38 mil toneladas em 2009 para 50 mil toneladas em 2010, colocou o país na 11ª posição no ranking dos produtores mundiais. O Brasil é o quinto maior exportador do produto. Programas de incentivo à produção apícola e capacitação de agricultores envolvidos com a cadeia produtiva são os responsáveis pelo destaque do setor nos últimos anos. Segundo o pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Ricardo Camargo, uma das principais alternativas para o aumento da produção nacional de mel é a parceria entre a apicultura, a fruticultura e a silvicultura. 

Alguns estados brasileiros, como Rio Grande do Sul, Espírito Santo e Minas Gerais, têm projetos em andamento. Em Minas Gerais, uma das boas experiências nessa área é a de uma associação de apicultores que trabalha com silvicultores. Como resultado da parceria, em 2010, houve um aumento no faturamento da associação de produtores e na produção de mel. A produtividade média das colmeias registrada na região foi de 55 a 60 quilos ao ano em 2009 e 2010, com valores acima da média nacional, que é de 25 quilos por colmeia ao ano. 

“Graças à união com uma empresa multinacional produtora de celulose, cerca de 46 municípios mineiros estão sendo beneficiados com o sistema de integração apicultura-silvicultura”, explica Camargo. Atualmente, 58 produtores de mel utilizam áreas reflorestadas e nativas de floresta. Essa participação corresponde a 100 mil hectares com 14,6 mil colmeias (todas orgânicas) instaladas em apiários georreferenciados, o que permite a identificação do mel produzido nessas áreas. 

Ampliação de parcerias

Camargo ressalta que a Confederação Brasileira de Apicultura (CBA) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) pretendem elaborar um plano de parcerias padronizado. O objetivo é expandir a cadeia produtiva de florestas e promover a inclusão social dos apicultores envolvidos. “Com a definição dos requisitos técnicos a serem considerados e os modelos de convênios entre as duas cadeias, imagina-se que as empresas de reflorestamento terão maior interesse em abrir espaço para esse tipo de parceria”, destaca o pesquisador. 

A Embrapa deve fazer a capacitação dos produtores e a pesquisa de novas formas de consórcio entre as espécies madeireiras comumente empregadas e outras espécies vegetais e culturas agrícolas. A iniciativa pretende melhorar a produção e permitir a exploração apícola dessas áreas durante o período de desenvolvimento das espécies madeireiras. “Estudos relacionados à identificação de espécies e de variedades mais produtivas e com maior precocidade e período de floração também podem ser potenciais fontes de pesquisas”, explica Camargo. 

Além dos ganhos diretos na exploração dessas áreas para a produção de mel e de outros produtos apícolas, existem ganhos adicionais. Nessa parceria específica, por exemplo, 5% da produção de cada apicultor são repassados à empresa produtora de celulose, que distribui o mel para entidades filantrópicas, hospitais, escolas e para os seus próprios empregados.


Fonte: Globo Rural Online



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

23/01/2020 às 19:55

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


2723 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey