Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


14/04/2011

São Paulo planeja mais que dobrar energia de biomassa, diz secretário

Para tornar o projeto viável, a secretaria de Energia do estado estuda modernizar equipamentos ultrapassados.

O secretário de Energia do Estado de São Paulo, José Aníbal, revelou que o governo paulista planeja estimular que o volume excedente de energia elétrica produzido a partir do bagaço da cana alcance 5 mil megawatts (MW) até 2014. "Hoje esse montante é de 2 mil MW", afirmou o secretário, que participou nesta quinta-feira (14/04) de seminário promovido pelo Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo. 

A meta de ampliar a geração de energia a partir do bagaço da cana faz parte da estratégia do governo de São Paulo de promover um amplo processo de retrofit (modernizar um equipamento já considerado ultrapassado) nas usinas de açúcar e álcool. Para tornar economicamente viável esse investimento, as secretarias de Energia e Fazenda paulistas estudam a concessão de uma diferenciação na cobrança de ICMS sobre os equipamentos. 

"Temos na próxima segunda-feira uma reunião para discutir essa questão. Acredito que podemos fechar isso neste encontro", disse Aníbal. O incentivo fiscal atende ao pleito da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica). 


Fonte: Agência Estado



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (2)


AMARILDO PORTO ARAUJO disse:

21/04/2011 às 21:19

concordo com paraibano CARLOS ROBERTO DE LIMA, quando ele afirma que o brasil em especial o estado de S. PAULO só admite que a matéria-prima florestal, utilizada er só a cana-de açucar, er a mais pura verdade, pois por aqui no amapá sé desmata de forma legal e ilegal cerca de mais de 10.000 hectares por ano, e nem 2% dessa matéria -prima er utilizada, pois a IN/N-06 DE 15/12/2006 do MMA, DIZ QUE QUEN A UTILIZAR TERAR QUE EFETUAR A REPOSIÇAO, MESMO ANTES DE A UTILIZAR A MATÉRIA -PRIMA FLORESTAL DE USO ALTERNATIVO DO SOLO. agora imagine em toda a amazonia que er cerca de 30 vezes a mais de desmatamento acontece p/ uso alternativo do solo. imagine sé essa materia-prima fosse aproveitada p/ geraçao de energia ou carvao, desdobramento de madeira, fabricaçao de moveis. [ pois cada hec, produz cerca de 500 cubicos de lenha, 300 cubicos de madeira, 50, toneladas de bio-massa. multiplica isso vezes a quatidade de areas desmatadas, e verao o quando tudo isso er transformado em cinzas ] / TITULO, A RIQUEZA QUE ER TRANSFORMADA EM CINZAS/

Carlos Roberto de Lima disse:

21/04/2011 às 17:38

Apenas um questionamento que não quer calar!

Por que será que em um estado que possui dois dos melhores cursos de Engenharia Florestal do Brasil (ESALQ/USP em Piracicaba e UNESP em Botucatu) o seu Secretário de Energia vam a público expressar o desejo do executivo estadual em mais que dobrar a participação da "Biomassa" na geração de energia, mas só se refere ao setor sucroalcooleiro! Não citando uma virgula sobre o potencial de participação da Biomassa Florestal na geração de energia!
Podemos atribuir tal fato apenas à ignorância, sobre o tema, do Sr. Secretário? NÃO! Com absoluta certeza!
Por maior que venha a ser a ignorância do Sr. Secretário tal fato não é devido somente a isto.
Com certeza outros fatores contribuem para este fato: a) o lobby do setor sucroalcooleiro; b) ao lobby de outros setores energéticos, mas sobretudo a acomodação dos técnicos florestais, muitos sendo formados sem o conhecimento devido da importância do consumo de madeira para a produção de energia, assim fica difícil ter ações políticas para uma maior participação da Biomassa Florestal na Matriz Energética de São Paulo, de outros estados e do Brasil.

Atenciosamente,

Dr. Carlos Roberto de Lima
UAEF / CSTR / UFCG
Campus de Patos
Patos - PB

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


2116 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey