Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


30/07/2014

Rio lança Mapa de Ameaças Naturais 2014

O trabalho contempla 460 ameaças naturais de desastre mais prevalentes nos 92 municípios do Estado do Rio de Janeiro

Na terça-feira (29 de julho) foi lançado pela Secretaria de estado de Defesa Civil (Sedec-RJ), o Mapa de Ameaças Naturais do Estado do Rio de Janeiro 2014. O evento vai acontecer às 14h, no auditório do Complexo de Ensino Coronel Sarmento (CECS). O trabalho consiste em representar um diagnóstico das principais ameaças naturais de desastre do território fluminense em relação à prevalência de ocorrência e à magnitude dos eventos adversos causadores de danos humanos, materiais e ambientais e consequentes prejuízos socioeconômicos.

De acordo com o diretor da Escola de Defesa Civil (Esdec), tenente-coronel Paulo Renato Vaz, o Mapa de Ameaças demonstra um panorama dos perigos naturais que rondam o estado.

“Baseados nesta pesquisa, vamos oferecer às 92 Defesas Civis municipais um treinamento específico e intensivo para que elaborem e ponham em prática com antecedência seus planos de contingência para cada uma das ameaças citadas. Estamos não apenas identificando e hierarquizando os riscos, mas também tomando providências”, afirmou o diretor.

A Defesa Civil do Estado do Rio virou referência pelo trabalho de redução de riscos de desastres nas Américas e no Caribe. A primeira edição do Mapa de Ameaças Naturais, lançada em 2012, está entre os cinco melhores estudos do continente na Plataforma Regional para Redução do Risco de Desastre nas Américas e na Plataforma Global da Suíça, condição avaliada pela Organização das Nações Unidas (ONU). No estudo – que auxilia na diminuição das vulnerabilidades do estado – são destacados os cinco principais riscos de cada cidade, como deslizamento, alagamentos, inundações, enxurradas, entre outros.

O Mapa de Ameaças Naturais – que cumpre as diretrizes estabelecidas no Marco de Ação de Hyogo (instrumento mais importante para a implementação da redução de riscos de desastres adotado por 168 estados membros da ONU, incluindo o Brasil) – já está servindo de exemplo para outros estados e países.

“Temos o reconhecimento da comunidade científica internacional. Nossa meta é estimular a criação de planos de contingência não apenas no Estado do Rio, adequando as medidas às ações necessárias. Precisamos trabalhar com a preparação para evitar tragédias. Estamos deixando um legado para a população”, disse o tenente-coronel Paulo Renato.

Na versão 2014 do mapa, os cinco riscos mais registrados no estado são:

- Deslizamentos (18%)
- Inundações (17,8%)
- Alagamentos (14,1%)
- Enxurradas (11,7%)
- Incêndios florestais (8,3%).

Na Região Serrana, por exemplo, municípios como Petrópolis, Nova Friburgo e Teresópolis registram entre suas principais ameaças os deslizamentos e as inundações. Já em Bom Jardim, constam as inundações e as enxurradas. Na Baixada Fluminense, Duque de Caxias aponta maior prevalência de inundações e alagamentos; em Mesquita, inundações e enxurradas. Na Região Metropolitana, Niterói registra maior risco de deslizamentos e de corrida de massa (lama/solo); e São Gonçalo, alagamentos e quedas/tombamentos. Na capital, os registros de maior prevalência são os deslizamentos e osalagamentos.


Fonte: Portal do Meio Ambiente



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

19/09/2019 às 08:25

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


751 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey