Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


07/01/2013

Projeto cria regras para compra de madeira pelo poder público

A ideia é evitar que o governo compre produtos extraídos de forma ilegal das florestas brasileiras

Fonte: Google

A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados aprovou uma proposta que cria o Programa Nacional de Qualidade Ambiental, que estabelece regras para a compra de produtos madeireiros pelo poder público. A ideia é evitar que o governo compre produtos extraídos de forma ilegal das florestas brasileiras.

De acordo com o projeto aprovado em 21 de dezembro, a administração pública terá de adotar critérios ambientais em todas as etapas de licitações e compras – em especial, a de madeira e seus subprodutos, como móveis. Além disso, o texto afirma que os bens vindos de manejo florestal sustentável terão preferência nas compras e nas licitações.

O governo terá, portanto, de adquirir apenas madeira com selo do Plano de Manejo Florestal autorizado pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). O programa exige das empresas que irão participar de licitações públicas apresentem provas da origem e da legalidade da cadeia de produção e do transporte dos produtos.

Serão aceitas certificações de qualidade ambiental emitidas por entidades públicas e privadas credenciadas, desde que sejam respeitadas as normas.

A proposta proíbe, ainda, a compra de mogno (Swietenia macrophylla King), espécie ameaçada de extinção, e o uso em obras públicas de formas, andaimes e quaisquer utensílios descartáveis que foram feitos de madeira da Amazônia Legal.

O texto aprovado, que ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação e de Constituição e Justiça e de Cidadania, é um substitutivo do relator, deputado Pauderney Avelino (DEM-AM), ao projeto do deputado Augusto Carvalho (PPS-DF) – a proposta foi alterada para incorporar as emendas aprovadas na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

“A aplicação das medidas propostas resultará, sem dúvida, em mais um passo na racionalização do uso dos recursos naturais de nosso país e na conscientização sobre a necessidade de utilizá-los de modo criterioso, o que deve partir da própria administração pública”, afirmou Avelino à Agência Câmara.


Fonte: Agência Câmara/Adaptado por CeluloseOnline



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

10/12/2019 às 03:17

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1460 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey