Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


07/08/2017

Programa apoia metas climáticas do Brasil

Iniciativa articulada entre governo federal e Alemanha contribuirá para implementação do compromisso brasileiro ao Acordo de Paris.


O Brasil está avançando na implementação dos compromissos firmados no contexto do Acordo de Paris. A afirmação é do secretário de Mudança do Clima e Florestas, Everton Lucero, do Ministério do Meio Ambiente. Lucero participou, nesta quarta-feira (02/08), em Brasília (DF), da apresentação do Programa sobre Políticas em Mudança do Clima (POMuC).

Estabelecida a partir de uma articulação entre o Brasil e a Alemanha, a medida tem como objetivo apoiar áreas selecionadas da Política Nacional sobre Mudança do Clima para que sejam implementadas com sucesso. O Programa será implementado por meio da atuação coordenada do MMA, do Ministério da Fazenda e da Cooperação Técnica Alemã (GIZ), em parceria com outras instituições.

O orçamento é de 9 milhões de euros e a previsão de duração é de cinco anos. No evento, foi apresentada a matriz de planejamento do Programa. Outra proposta foi identificar, entre as instituições presentes, a convergência de iniciativas e projetos alinhados ao PoMuC, que contempla sete eixos temáticos: Sistema de Transparência; REDD+; Adaptação; Fundo Clima; Financiamento sobre Mudança do Clima; Relato de Emissões; e Gestão do Conhecimento.

RESULTADOS

A implementação do POMuC deve fortalecer a posição brasileira em ações de enfrentamento da mudança do clima por meio da divulgação das ações de mitigação e adaptação, com base em ferramenta de transparência de ações e apoio.

Outros impactos esperados são a implementação efetiva, transparente e participativa da Estratégia Nacional para REDD+; a redução da vulnerabilidade de pessoas e ecossistemas por meio do apoio à implementação de ações do Plano Nacional de Adaptação; o fortalecimento de estruturas institucionais brasileiras.

E ainda o aperfeiçoamento da coordenação, cooperação e intercâmbio de experiências entre os que atuam em mudança do clima, assim como o efeito multiplicador em níveis nacional e internacional por meio da divulgação e compartilhamento orientados das experiências, lições aprendidas e trabalhos desenvolvidos.

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

De acordo com Everton Lucero, o POMuC muda a abordagem setorial que havia antes do Acordo de Paris, compromisso mundial concluído em dezembro de 2015 para frear o aquecimento global. Diante disso, o objetivo do Programa é fazer um acompanhamento tanto em termos de transparência quanto em termos das ações que serão realizadas com uma visão de conjunto. “Isso nos põe o desafio adicional de estarmos bem coordenados”, afirmou.

Para o secretário, o Brasil intensifica um caminho sem volta rumo ao desenvolvimento sustentável, à economia de baixo carbono e ao cumprimento dos compromissos assumidos pelo país no Acordo de Paris. “O Brasil apresentou uma NDC (Contribuição Nacionalmente Determinada) ambiciosa. Ela está sendo levada a sério”, disse.

Lucero destacou ainda a participação de estados e municípios na implementação do programa e os ativos ambientais do país, notadamente em energias renováveis, florestas e biocombustíveis.
O primeiro secretário para Assuntos Ambientais da Embaixada da Alemanha, Lutz Morgenstern, considerou a apresentação da política como um marco. “Finalizamos o planejamento. Agora temos um escopo de atuação definida e uma política de importância estratégica para ser implementada”, disse.
Morgenstern também destacou a atuação dos parceiros para a formulação da POMuC. “A equipe trabalhou de forma sinérgica, realizando oficinas, reuniões, troca de informações”, afirmou.

A diretora do POMuC pela GIZ, Anja Wucke, disse que o governo alemão pela IKI apoia o governo brasileiro e parceiros na implementação das políticas em mudança do clima. “Nós contribuímos para uma implementação que seja mais efetiva, para que haja revisão ou a introdução de novos instrumentos para que elas tenham mais impacto”.

CONTRIBUIÇÃO

A contribuição pretendida pelo Brasil, com relação à mitigação da mudança do clima, baseia-se na redução das emissões de gases de efeito estufa em 37% abaixo dos níveis de 2005, em 2025, com uma contribuição indicativa subsequente de reduzir essas emissões em 43% abaixo dos níveis de 2005, em 2030.

A NDC propõe uma redução absoluta das emissões de gases de efeito estufa para o conjunto da economia do Brasil. Outra característica é a indicação de áreas temáticas focadas para os esforços de mitigação, em especial, agropecuária, energia e florestas e também incorpora ações prioritárias de adaptação à mudança do clima.

POMuC

A política é resultado de uma articulação bilateral entre os governos do Brasil e da Alemanha, no contexto da Iniciativa Internacional sobre Mudança do Clima (IKI) do Ministério do Meio Ambiente, Conservação da Natureza, Construção e Segurança Nuclear da Alemanha (BMUB). O PoMuC envolve diretamente a GIZ, que é a agência executora de cooperação técnica alemã, e os ministérios do Meio Ambiente e da Fazenda brasileiros.

A implementação será por meio da atuação coordenada entre GIZ, MMA e o MF, em parceria com outros ministérios e instituições.


Fonte: Ministério do Meio Ambiente



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

15/12/2017 às 13:46

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


223 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey