Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


16/10/2008

Produtos extrativistas já têm preços mínimos

A lista de produtos que fazem parte da Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM) será ampliada com a inclusão de mais quatro produtos extrativistas, que acabam de ter os valores mínimos aprovados pelos ministérios da Agricultura e da Fazenda, e pelo Conselho Monetário Nacional (CMN)

Extração do Látex

 Brasília (26.9.2008) –  A lista de produtos que fazem parte da Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM) será ampliada com a inclusão de mais quatro produtos extrativistas, que acabam de ter os valores mínimos aprovados pelos ministérios da Agricultura e da Fazenda, e pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para entrar em vigor, os preços do açaí (R$ 0,61/kg), babaçu (R$ 1,46/kg), borracha natural (R$3,50/kg) e pequi (R$0,21/kg a R$ 0,31/kg), só dependem da sanção do presidente Lula. Os valores terão vigência até 30 de junho de 2009.
 

Serão beneficiados pela medida trabalhadores extrativistas das regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste. Os estudos foram elaborados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA). As normas de comercialização, entretanto, ainda serão definidas. O assunto foi alvo, nesta semana, de duas reuniões, em Brasília, entre a estatal, ministérios da Agricultura, do Desenvolvimento Agrário, da Fazendo e do Meio Ambiente.

Esta decisão garante aos trabalhadores ajuda do governo, seja na aquisição da colheita ou no pagamento de subvenções, sempre que o preço estiver abaixo do mercado. Para o diretor de Logística e Gestão Empresarial da Conab, Silvio Porto, o objetivo “é garantir renda às famílias que vivem da extração e consolidar o segmento extrativo nos principais biomas brasileiros”. Segundo ele, desta forma são oferecidas condições de cidadania às comunidades, além de evitar o desmatamento desregrado das espécies nessas regiões.


Mais extrativismo - A Conab também está realizando nova pesquisa em campo para definir os preços mínimos de outros produtos extrativistas que serão amparados pela PGPM, como andiroba, copaíba, piaçava, carnaúba e castanha-do-brasil. O resultado será submetido a apreciação do governo até o próximo mês. (Conab)


Fonte: Conab



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

19/01/2020 às 04:38

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


3637 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey