Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


13/02/2021

O DESEMPENHO DO AGRO MINEIRO EM 2020

É natural que, nos caminhos da comercialização por vias internas e externas, o consumidor final, onde viver, pague todos os custos adicionais agregados às mercadorias, e não seria diferente com os produtos agropecuários in natura e processados; contudo, dentro da porteira, o ônus e o bônus são exclusivamente de quem planta e cria.

O DESEMPENHO DO AGRO MINEIRO EM 2020*
Nos mercados, que exigem ser decifrados, os produtores rurais ganham, perdem ou empatam. Entretanto, pode-se afirmar que ninguém faz negócios para tomar prejuízo. É natural que, nos caminhos da comercialização por vias internas e externas, o consumidor final, onde viver, pague todos os custos adicionais agregados às mercadorias, e não seria diferente com os produtos agropecuários in natura e processados; contudo, dentro da porteira, o ônus e o bônus são exclusivamente de quem planta e cria.
O fato concreto é que sem lucratividade no campo, nas culturas e criações, a adoção de inovações tecnológicas transformadas em boas práticas indispensáveis aos ganhos de produção e produtividade poderá ser um complicador se não houver renda para pagar as despesas e inovar, principalmente entre os pequenos e médios produtores!
Assim posto, emerge novamente um alerta do pesquisador Eliseu Alves (Embrapa); “Tecnologia é coisa muito séria,” o que recomenda, entre outras condicionantes, avaliar a relação custo/benefício; aliás, não há nada de novo nisso!
E o desempenho do agronegócio mineiro em 2020, na plena vigência de uma pandemia virótica, revela bons resultados? Sim, dinâmico e tracionado pelos mercados, produtores rurais atuantes, demandas por tecnologias adotadas em níveis de campo, crédito rural, assistência técnica pública e privada, abastecimento interno, e as exportações mineiras para 172 países, o que é também muito importante numa série histórica!
Segundo o IBGE, Minas Gerais é o estado brasileiro com a maior diversificação de culturas e criações, o que revela um cenário aberto à pesquisa agropecuária, inovação, e sistemas eficientes de informações nos 853 municípios, e abrangendo 607.488 estabelecimentos rurais. Há que se conciliar a sustentabilidade dos recursos naturais, com a sustentabilidade econômica de quem planta e cria. Aliás, inovar custa dinheiro!
São cenários que exigem acessar às fontes de informação fundamentadas nos sistemas agroalimentares, e na hora certa; pois, também, os ciclos biológicos das culturas e criações definem prazos às intervenções técnicas nos seus domínios. Sempre haverá tempo próprio a cumprir entre o semear, tratar e colher; manejar os rebanhos, e florestas!
Por outro lado, além de abastecer o mercado interno e suprir as agroindústrias, o agronegócio mineiro fechou 2020 com as exportações somando US$ 8,7 bilhões, sendo os cinco primeiros lugares em termos de valores; China, US$ 2,27 bilhões (26,3%); EUA, US$ 896 milhões (10,3%); Alemanha, US$ 881 milhões (10,2%); Itália, US$ 403 milhões (4,7%); e Japão, US$ 3,8 milhões (4,2%).
Entretanto, numa retrospectiva, as exportações do agro mineiro consolidaram esses desempenhos, bem como seus percentuais sobre as exportações totais de Minas Gerais; 2015, US$ 7,3 bilhões (33,2%); 2016, US$ 7,4 bilhões (33,8%); 2017, US$ 8,0 bilhões (31,6%); 2018, US$ 8,1 bilhões (33,3%); 2019, US$ 7,9 bilhões (31,7%); 2020, US$ 8,7 bilhões (33,2%). O superávit acumulado entre 2015 e 2020 foi de US$ 43,83 bilhões, sendo mensurável a contribuição do agronegócio para Minas Gerais e o País, bem como suas exportações. É bom recordar ainda que o estado faz divisas com Bahia, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo.
Por exemplo, em 2020, somente no complexo café, foram exportadas 25 milhões de sacas ou 43,9% do valor total exportado, bem como são registrados outros valores percentuais na pauta de exportações, entre os quais; complexo soja (20,7%); complexo sucroalcooleiro (12,2%); carnes (11,8%); e produtos florestais (6,1%).
E mais, no conjunto das exportações do agro em 2020 as vendas externas contidas ainda no total exportado; carne bovina, US$ 802 milhões; carne de frango, US$ 171,1 milhões; e carne suína, US$ 40 milhões.
A produção mineira de grãos foi de 15,3 milhões de toneladas em 2020, com previsão de 16,1 milhões em 2020/2021. Em 2020, as culturas da soja e do milho ocuparam uma área de cultivo de 52,0% da área total de 3,5 milhões de hectares (5,9% de MG) ou 1,82 milhão de hectares, e responderam por 88% das 15,3 milhões de toneladas de grãos; são duas culturas emblemáticas.
Em 2020, o Valor Bruto da Produção (VBP) agropecuária de Minas Gerais, em nível de fazenda, foi de R$ 96,11 bilhões (4º lugar nacional); o que poderá sinalizar um PIB do agro mineiro de R$ 192 bilhões, a conferir! Posição de MG em relação ao Brasil. Esses dados mostram a complexidade, demandas e ofertas do agro mineiro; senão vejamos esses cenários produtivos igualmente multiplicadores de emprego, renda, e bem-estar social no campo, e nas cidades; lugar; café; batata; alho; cenoura; marmelo; moranguinho; reflorestamento; lugar; abacaxi; abacate; amendoim; feijão; laranja; limão; ponkan; sorgo; açúcar de cana;  polo de olericultura; lugar; banana; tomate; cana de açúcar; cebola; lugar; trigo; manga; maracujá; etanol de cana; fruticultura mineira; lugar; milho.
No segmento pecuário, destaca-se a diversidade das criações praticadas nas regiões produtoras do Estado; lugar; produção de leite de vaca, e seus derivados (9,4 bilhões de litros de leite em 2019, sob fiscalização); equinocultura; lugar; rebanho bovino; ovos de galinha; ovos de codorna; lugar; suinocultura; 5º lugar; mel de abelha e confinamento de bovinos para corte.
Em 2020, a fruticultura mineira gerava 250 mil empregos diretos, e estimam-se 540 mil indiretos; e oferta de 2,32 milhões de toneladas de frutas; e a olericultura, 3,6 milhões de toneladas; e 366 mil empregos diretos (Emater-MG); faturamento do setor supermercadista (MG); R$ 41,39 bilhões; a venda de alimentos fica entre 50% e 60%.
Em 2019, na área de influência e assistida pela Emater-MG foram ofertadas 6,17 mil toneladas de mel de abelhas, e 240 toneladas de própolis, sendo que a apicultura mineira, no conjunto do Estado, promove 42 mil empregos diretos e indiretos. Consultas; Seapa-MG; Emater-MG; Conab; Secex; Mdic; Faemg; IBGE; Censo Agro 2017; Google. Notas; segundo consta no 5º Levantamento da Conab, para a safra 2020/2021, estima-se um novo recorde de grãos de 268,3 milhões de toneladas; área de cultivos, 67,6 milhões de hectares; e produtividade média de 4.374 kg/ha; em janeiro de 2021 o agro brasileiro exportou US$ 5,67 bilhões, com superávit de US$ 4,37 bilhões(MAPA).
*Engenheiro agrônomo Benjamin Salles Duarte/jan./2021.
 


Fonte: O Autor



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

03/03/2021 às 18:44

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


94 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey