Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 16

Warning: max() [function.max]: Array must contain at least one element in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 53

Warning: min() [function.min]: Array must contain at least one element in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 55
CIFlorestas>>Notícia>>Marco Maia sugere que MP do Código Florestal sofra poucos vetos

Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


20/09/2012

Marco Maia sugere que MP do Código Florestal sofra poucos vetos

Para ele, texto aprovado não representou derrota para nenhuma das partes envolvidas

Google
O presidente da Câmara, Marco Maia, comentou nessa quarta-feira, 19, a aprovação da Medida Provisória 571, que altera o texto do novo Código Florestal (Lei 12.651/12). A expectativa, segundo ele, é que a MP seja aprovada na próxima semana pelo Senado e que, em seguida, seja sancionada pela presidente Dilma Rousseff com o mínimo de vetos.

“Vamos conversar e pedir à presidente Dilma que vete o mínimo possível e dê por encerrada essa página da história brasileira que é a aprovação do novo Código Florestal”, destacou Maia.

Segundo ele, o texto aprovado é fruto do consenso possível e não representou derrota para nenhuma das partes envolvidas. “Cada um abriu mão de suas convicções e isso nos permitiu votar uma matéria importante”, disse. “Entendo que a votação não representou perdas nem para oposição, nem para os agricultores e muito menos para o governo”, avaliou Maia.

Agropecuaristas
A tendência de veto irritou o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO), que prevê prejuízos para o agronegócio caso o texto não seja plenamente sancionado. "Isso é história da carochinha: nós vamos votar aqui um texto que a presidente não assume e, como tal, vetará aquilo em que o produtor rural teve um mínimo ganho e vem com uma nova medida. Vai ser o grande golpe, o grande estelionato legislativo do qual fomos vítimas na comissão mista do Congresso Nacional", disse.

Ambientalistas
Já o coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista, deputado Sarney Filho (PV-MA), listou outros pontos que espera ver vetados por Dilma. "O que saiu daqui é muito ruim: diminui a área de 20 para 15 metros na faixa de compensação nas margens de rios, reduz de 30 para 20 metros as faixas de recomposição nos demais casos e joga para os estados o programa de recuperação. Tudo isso é muito ruim e nós não vamos aceitar", afirmou.

Sarney Filho confirmou a intenção dos ambientalistas em repetir a campanha "Veta Dilma", usada para pressionar a presidente a vetar o novo Código Florestal entre abril e maio.

AGU
Mais cedo, Marco Maia esteve reunido com o advogado geral da União, Luís Adams, para tratar da proposta que altera a lei orgânica da Advocacia Geral da União. Segundo Adams, o objetivo era mostrar a importância do projeto que atualiza a estrutura da AGU. “A lei atual tem mais de 20 anos e nós precisamos de uma legislação que fortaleça a instituição para que possa acompanhar a realidade de hoje”, disse Adams, acrescentando que pretende acompanhar a tramitação da matéria nas comissões do Congresso.

O advogado-geral da União disse ainda que não vê mais razoabilidade para persistência de alguns movimentos grevistas, como o de alguns policiais. “Houve uma negociação entre várias categorias com o Executivo e o resultado disso está concretizado na forma da Lei Orçamentária enviada ao Congresso”, disse.

Adams também não considera legítimo o mandado de segurança impetrado no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, para garantir aumento maior dos seus vencimentos e do Ministério Público da União (MPU) do que o previsto no projeto de lei do Orçamento da União de 2013, enviado ao Congresso. “Não vejo legitimidade na proposta, uma vez que também houve um acordo que se traduziu na proposta orçamentária”, completou.

O MPU e o Poder Judiciário enviaram projetos ao Congresso, anexados ao Orçamento, pedindo reajuste de 7,12% em 2013. A proposta, no entanto, também pede que sejam aprovados dois projetos antigos, o que representaria um aumento de 29% do subsídio, passando de R$ 26,7 mil para cerca de R$ 34 mil.


Fonte: Agência Camara



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

23/05/2019 às 22:53

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1112 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey