Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


15/11/2009

Hidrogel Reduz Freqüência de Irrigação e Potencializa seu Efeito

Uma nova tecnologia de irrigação está aos poucos se disseminando nas fazendas produtoras de borracha natural: o hidrogel.

Gel hidratado

Para Márcio César Ferreira, diretor do Grupo Polifer, os produtores têm demonstrado grande interesse pelo produto, atraídos pela facilidade que o gel proporciona para o manejo (plantio) do seringal, ao reduzir a freqüência e a necessidade de irrigação no primeiro ano. Com isso, diminuem-se também os custos com mão-de-obra e diesel. “Quem conhece não planta sem”, garante.

A tecnologia de aplicação do hidrogel foi desenvolvida e patenteada pela empresa Hydroplan-EB, que é representada comercialmente pelo Grupo Polifer no noroeste paulista, região do Prata (MG), sul de Goiás e no Mato Grosso do Sul.

Trata-se de um polímero de alta qualidade e pureza, que absorve de 200 a 400 vezes seu peso em água e chega a aumentar em 100 vezes seu tamanho, segundo a Hydroplan-EB. Utilizado no plantio, possui diferentes granulometrias e a liberação de água varia em função do tamanho do grânulo e de acordo com o meio (tipo de solo, cultura, clima, tipo de planta, qualidade da água). 

O uso do hidrogel no plantio diminui as perdas de água e nutrientes por lixiviação, reduz a evaporação da água do solo, diminui a freqüência de irrigação em até 50% e favorece o crescimento das plantas, pois a água e os nutrientes estão mais tempo à disposição das raízes, de acordo com a empresa fabricante. “Quando plantas de seringueira encontram boa disponibilidade de água no solo, o teor de sacarose nas folhas aumenta, sendo este o principal carboidrato, fundamental para a síntese do látex”, informa a Hydroplan-EB.

Márcio César Ferreira explica como utilizá-lo: “deve-se diluir três quilos do gel Hydroplan-EB em 1000 litros de água. Então, coloca-se de 1,5 litro a 2 litros do gel já hidratado na cova. Em seguida, é preciso pegar  a muda (balainho) e cortar o fundo do balainho, retirando o plástico dali. Depois, corta-se a lateral do balainho, mas sem retirar o plástico, e coloca o balainho dentro da cova já com o gel hidratado. Deve-se então jogar um pouco de terra em volta e misturar para homogeneizar o gel com a terra, puxando depois o plástico”. O ideal é que a operação de misturar o gel com a terra seja repetida de 3 a 4 vezes, até que o plástico seja retirado totalmente. O gel deve cobrir cerca de 80% da muda, formando uma camada de aproximadamente 2 centímetros em sua volta.

O diretor da Polifer orienta o produtor a regar a planta no primeiro dia do plantio e, depois, a cada 20 dias, aproximadamente. O gel vai liberando a umidade conforme a planta precisa. A título de comparação, sem a aplicação do hidrogel, a seringueira precisa ser regada a cada 4 ou 5 dias no veranico.

A agrônoma Andréa Santana Dias, gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da Hydroplan-EB, chama a atenção do produtor para sempre observar a muda, pois é ela quem dará os sinais do momento certo para a irrigação. A combinação de altas temperaturas do solo com um período muito prolongado sem água pode aumentar a velocidade de degradação do gel, que em boas condições dura de seis meses a três anos. “O produto é como uma caixa d’água no pé da planta, e como toda caixa d água, depois de esvaziada deve ser cheia novamente, o que se faz com a irrigação”, exemplifica. O polímero é atóxico, biodegradável e não deixa resíduos.

Além do hidrogel utilizado no momento do plantio, a Hydroplan-EB disponibiliza um produto complementar, usado no momento da irrigação, chamado HB10. São polímeros que tornam a água viscosa, reduzindo a velocidade de percolação e aglutinando partículas suspensas no solo. O produto pode ser encontrado na forma de pó, emulsão e tablete, e para ser aplicado, basta fazer a diluição na água de irrigação. Como vantagens, a Hydroplan-EB aponta o combate à erosão do solo, o aumento da infiltração da água no solo, maior eficiência na irrigação, melhor aproveitamento de água pelas plantas, e a redução de 20% a 50% no volume de água utilizado na irrigação.

Ferreira indica o uso de 80g do HB10 para cada mil litros de água. “Como o produto deixa a água mais viscosa, pode levar até uma hora para descer no solo, enquanto a ‘água normal’ penetra em um minuto ou um minuto e meio num terreno arenoso”, diz. “A planta tem mais tempo absorver a água e o próprio gel absorve melhor a água da irrigação. Outra vantagem é que este produto cria uma película sobre o solo, ajudando a segurar a umidade e evitando o nascimento de mato”. Ele recomenda a aplicação no que chama de D3: uma rega com o HB10 misturado à água e depois duas irrigações sem o produto.

Com essas tecnologias, a Hydroplan-EB garante um uso mais racional dos recursos hídricos e o melhor desenvolvimento das culturas agrícolas, para grandes e pequenos produtores. “A aplicação é simples, com uma plantadeira acoplada a um costal ou a um tanque pipa contendo solução de polímero hidroretentor, pode-se fazer a cova, plantar a muda e irriga-la tudo no mesmo procedimento”, afirma a empresa.

Márcio César Ferreira, da Polifer, afirma que o uso destes produtos compensa economicamente. “O gel para plantio custa R$ 29/quilo e pode ser aplicado em cerca de 600 plantas, gerando um custo de R$ 0,12 a R$ 0,15 por planta”. O HB10 custa R$ 60/quilo, incorrendo num custo aproximado de R$ 0,50 a cada 100 mudas, se a irrigação for feita com 10 litros da mistura por planta, por exemplo. Ferreira destaca, ainda, que ambos os produtos podem ser usados separadamente, posto que um independe do outro. “Quem já plantou o seringal também se beneficia do HB10”, explica.

Em sua opinião, quando o solo é arenoso o produtor tem quase “obrigação” de usar o gel. Ele observa que os polímeros trazem um benefício de 30% a 40% em termos de crescimento para a planta, o que se percebe visualmente. Ferreira também comenta que o hidrogel é usado há mais tempo na cultura do eucalipto, por exemplo, e pesquisas indicam que o efeito esponja pode durar por até três anos.


Fonte: Borracha Brasileira



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (8)


willian disse:

15/10/2015 às 17:38

Ola boa tarde,
Gostaria de saber qual e a proporção de aplicação de hidrogel em plantio de mudas de DAP 3 5 7 , arvores com torrões 40cm , 60cm , 1m (arvores de transplante adulta)??

Eduaardo otávio Mesquita disse:

24/02/2015 às 12:59

Boa tarde;

gostaria de saber mais sobre o hidrogem usado para irrigação de plantas .

att;

Eduardo.

Renilso Ruaro disse:

07/06/2013 às 00:03

quem vende, ou como, quero uma pequena quantidade para alguns esperimentos

wanderson disse:

29/07/2012 às 20:51

onde compro hidrogel em bh??

fernando Delgado Alves disse:

30/03/2012 às 11:09

Muito bacana o produto, só queira saber se aplica somente a serigueiras, tenho uma pequena fazenda no estao do Ceara, e fiquei interessado em desenvolver algum tipo de cultura usando este sistema de vcs.

Obrigado


giselle disse:

05/03/2012 às 17:49

Preciso que me indiquem fornecedores de hidrogel para plantio em BH.

Jorge Costa Vila Real disse:

09/11/2011 às 19:09

Muito interessante o produto,assistí a uma reportagem sobre o uso do mesmo.Gostaria de saber onde se compra em Belo Horizonte e qual a menor quantidade que consigo comprar.Vou plantar mudas de bucha vegetal e gostaria de experimentar.
Grato.

EULER SATHLER SOARES disse:

22/10/2011 às 13:57

Vou experimnentar o uso do gel no plantio da seringueira este ano. é a primeira vez que uso o produto. daqui há algum tempo, (dois nos) posso opinar sobre o mesmo. vou usá-lo no plantio de mudas em raizes nuas na proporção de 150g/200 l de água, misturado ao solo no momento do plantio.

Será que estou no caminh certo?

Euler

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


11790 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey