Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


24/02/2017

Governo de Minas Gerais debate Projeto Siderurgia Sustentável em reuniões

Programa visa produção sustentável de carvão vegetal para a indústria siderúrgica de acordo com a meta de redução da emissão de gases de efeito estufa.

Acontece nesta semana na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, a Missão Projeto Siderurgia Sustentável – Minas Gerais. Uma das reuniões foi conduzida nessa quarta-feira (22/2) pela Secretaria de Estado de Governo (Segov), por meio da Assessoria de Relações Internacionais (ARI). O objetivo foi apresentar as atividades desenvolvidas pelo projeto ao longo de 2016 e o planejamento em 2017.
O Projeto Siderurgia Sustentável busca o desenvolvimento de uma cadeia de produção siderúrgica sustentável e de baixa emissão de gases de efeito estufa. Para isso, incentiva o aumento da eficiência dos processos de conversão de biomassa em carvão e busca construir um ambiente institucional e normativo favorável ao uso do carvão vegetal sustentável pelas indústrias de ferro-gusa, aço e ferroligas.
O assessor de Relações Internacionais do Governo de Minas Gerais, Hugo Salomão, explica que o projeto, que é implementado no estado mineiro, exercerá um papel estratégico no cumprimento das metas e compromissos, nacionais e estaduais, para a redução da emissão desses gases.
“O projeto está vinculado às iniciativas estaduais e federais de redução de emissões dos gases de efeito estufa ancorados em acordos internacionais, como o Acordo de Paris, resultado da COP 21 realizada na França, em 2015”, destaca Salomão.
O projeto é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e implementado pelo Programa das Nações Unidas para Desenvolvimento (PNUD). A execução conta, ainda, com Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Ministério da Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) e o Governo de Minas Gerais, com recursos do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF).
Ações já realizadas e prioridades
Em sua apresentação, a assessora técnica do PNUD, Saenandoah Dutra, abordou as ações já realizadas e quais as prioridades para 2017.
“Em 2016, estruturamos a governança do projeto e iniciamos os estudos que servirão de base para a execução do projeto ao longo dos próximos três anos. Para 2017, temos duas prioridades. A primeira é iniciar a capacitação do produtor independente de carvão, para que possa produzir de forma ambiental, social e economicamente sustentável. A outra prioridade é lançar, até abril, o edital que selecionará empresas e instituições que queiram fazer essa conversão para a produção sustentável ou ampliar a produção que já é feita dessa maneira”, ressalta a técnica.
Já a representante do MMA e coordenadora técnica do Projeto Siderurgia Sustentável, Josana Lima, ressaltou a importância do Governo estadual nessa parceria. “A atuação do Governo de Minas Gerais é estratégica no engajamento conjunto com vistas à redução das emissões de gases de efeito estufa do setor siderúrgico como um todo, pois os principais produtores e consumidores de carvão vegetal no Brasil estão situados no estado”.
Além de representantes do MMA, PNUD e MDIC, o encontro contou com a participação de servidores das secretarias de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), de Planejamento e Gestão (Seplag), de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) e de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa)Instituto Estadual de Florestas (IEF) e Fundação Estadual do meio Ambiente (Feam).
Nesta quinta (23/2) e sexta-feira (24/2), serão realizadas novas reuniões para fortalecer essa parceria com o Governo de Minas Gerais e também para discutir propostas de capacitação do produtor independente.


Fonte: Agência Minas



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (2)


Agroman disse:

13/07/2017 às 18:23

Muito mais ambiental produzir ferro-gusa de carv?o vegetal do que o mineral. N?o acabem com o setor que emprega e gera tanta renda para os agricultores, atrav?s de leis feitas por alien?genas arraigados em preciosismos ambientais e preconceitos ideol?gicos.

Fernando Lelis Xavier disse:

01/03/2017 às 10:14

Todas as a?es em prol da sustentabilidade na cadeia de produ??o do carv?o vegetal s?o importantes e diria at? atras atrasadas, no que se refere ao cuidados ambientais.
Sucesso nas a?es!

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1697 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey