Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


24/02/2017

Governo de Minas Gerais debate Projeto Siderurgia Sustentável em reuniões

Programa visa produção sustentável de carvão vegetal para a indústria siderúrgica de acordo com a meta de redução da emissão de gases de efeito estufa.

Acontece nesta semana na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, a Missão Projeto Siderurgia Sustentável – Minas Gerais. Uma das reuniões foi conduzida nessa quarta-feira (22/2) pela Secretaria de Estado de Governo (Segov), por meio da Assessoria de Relações Internacionais (ARI). O objetivo foi apresentar as atividades desenvolvidas pelo projeto ao longo de 2016 e o planejamento em 2017.
O Projeto Siderurgia Sustentável busca o desenvolvimento de uma cadeia de produção siderúrgica sustentável e de baixa emissão de gases de efeito estufa. Para isso, incentiva o aumento da eficiência dos processos de conversão de biomassa em carvão e busca construir um ambiente institucional e normativo favorável ao uso do carvão vegetal sustentável pelas indústrias de ferro-gusa, aço e ferroligas.
O assessor de Relações Internacionais do Governo de Minas Gerais, Hugo Salomão, explica que o projeto, que é implementado no estado mineiro, exercerá um papel estratégico no cumprimento das metas e compromissos, nacionais e estaduais, para a redução da emissão desses gases.
“O projeto está vinculado às iniciativas estaduais e federais de redução de emissões dos gases de efeito estufa ancorados em acordos internacionais, como o Acordo de Paris, resultado da COP 21 realizada na França, em 2015”, destaca Salomão.
O projeto é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e implementado pelo Programa das Nações Unidas para Desenvolvimento (PNUD). A execução conta, ainda, com Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Ministério da Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) e o Governo de Minas Gerais, com recursos do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF).
Ações já realizadas e prioridades
Em sua apresentação, a assessora técnica do PNUD, Saenandoah Dutra, abordou as ações já realizadas e quais as prioridades para 2017.
“Em 2016, estruturamos a governança do projeto e iniciamos os estudos que servirão de base para a execução do projeto ao longo dos próximos três anos. Para 2017, temos duas prioridades. A primeira é iniciar a capacitação do produtor independente de carvão, para que possa produzir de forma ambiental, social e economicamente sustentável. A outra prioridade é lançar, até abril, o edital que selecionará empresas e instituições que queiram fazer essa conversão para a produção sustentável ou ampliar a produção que já é feita dessa maneira”, ressalta a técnica.
Já a representante do MMA e coordenadora técnica do Projeto Siderurgia Sustentável, Josana Lima, ressaltou a importância do Governo estadual nessa parceria. “A atuação do Governo de Minas Gerais é estratégica no engajamento conjunto com vistas à redução das emissões de gases de efeito estufa do setor siderúrgico como um todo, pois os principais produtores e consumidores de carvão vegetal no Brasil estão situados no estado”.
Além de representantes do MMA, PNUD e MDIC, o encontro contou com a participação de servidores das secretarias de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), de Planejamento e Gestão (Seplag), de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) e de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa)Instituto Estadual de Florestas (IEF) e Fundação Estadual do meio Ambiente (Feam).
Nesta quinta (23/2) e sexta-feira (24/2), serão realizadas novas reuniões para fortalecer essa parceria com o Governo de Minas Gerais e também para discutir propostas de capacitação do produtor independente.


Fonte: Agência Minas



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (2)


Agroman disse:

13/07/2017 às 18:23

Muito mais ambiental produzir ferro-gusa de carv?o vegetal do que o mineral. N?o acabem com o setor que emprega e gera tanta renda para os agricultores, atrav?s de leis feitas por alien?genas arraigados em preciosismos ambientais e preconceitos ideol?gicos.

Fernando Lelis Xavier disse:

01/03/2017 às 10:14

Todas as a?es em prol da sustentabilidade na cadeia de produ??o do carv?o vegetal s?o importantes e diria at? atras atrasadas, no que se refere ao cuidados ambientais.
Sucesso nas a?es!

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


2239 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey