Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


06/08/2009

Fusões São Positivas para o Setor de Painéis de Madeira

No final do mês de junho a Duratex e a Satipel anunciaram a união que resultou na maior indústria de painéis do hemisfério sul e otava maior do mundo. As capacidade industrial na nova empresa deve somar 4 milhões de m³ anuais entre painéis de MDF (medium density fiberboard), MDP (medium density particleboard) e Chapa de Fibra. Essa é a primeira fusão do setor no país e foi vista de maneira bastante positiva por empresários e especialistas.

Chapas de MDF

No final do mês de junho a Duratex e a Satipel anunciaram a união que resultou na maior indústria de painéis do hemisfério sul e otava maior do mundo. As capacidade industrial na nova empresa deve somar 4 milhões de m³ anuais entre painéis de MDF (medium density fiberboard), MDP (medium density particleboard) e Chapa de Fibra. Essa é a primeira fusão do setor no país e foi vista de maneira bastante positiva por empresários e especialistas. 

 
tabela duratex
Movimentações como essa são uma tendência global e também podem ser observadas em outros setores como o de celulose e alimentos. Na opinião de Ivan Tomaselli, diretor da STCP, as fusões não são reflexo da crise econômica, mas uma situação já esperada em um mercado que é bastante pulverizado. Na opinião dele, ainda devem ser realizadas pelo menos mais duas fusões como essa nos próximos anos. “As consolidações são uma forma que as empresas estão buscando para sobreviver no mercado”, acredita.

Para a Abipa (Associação Brasileira da Indústria de Painéis de Madeira), as fusões vão fortalecer ainda mais o setor. “Processos como esses que estamos vivenciando recentemente são positivos, pois proporcionam um ganho de musculatura para que as empresas possam competir globalmente”, afirma Rosane Donati, superintendente executiva da Associação. De acordo com levantamento da EPF (European Panel Federation), o Brasil ocupa apenas o penúltimo lugar no ranking de consumo de painéis per capita, o que, na opinião de Donati, significa que o país ainda tem muito espaço para crescer e as uniões entre as indústrias cooperam ainda mais para que isso aconteça.

tabela mdf

tabela mdp

Para as indústrias moveleiras, a expectativa também é de que as fusões tragam benefícios. “Esperamos que estas fusões tornem as empresas mais eficientes e que isso possa se reverter em benefícios ao setor moveleiro como produtos diferenciados e preços compatíveis para que os moveleiros também possam ser mais competitivos”, afirma Maristela Longhi, presidente da Movergs (Associação das Indústrias de Móveis do Rio Grande do Sul).
 

Empresários do setor também vêem as fusões de forma positiva e como uma possibilidade de melhorar a atuação no mercado brasileiro. Na opinião de Wilmar Trindade, gerente de vendas da Lopar, “a união das empresas é saudável. Dessa forma, elas podem diminuir a produção e controlar melhor os preços”. Já Rodrigo Camargo, diretor de marketing da Masisa, acredita que as movimentações vão ajudar o mercado brasileiro a explorar novos nichos de mercado. “Espero que essas mudanças venham para o mercado evoluir, para trazer mais novidades e mais qualidade”, diz.
 

NOVAS FUSÕES

A Berneck anunciou neste mês a intenção de também se unir a outra empresa até o final do ano. A indústria possui capacidade de produção de mais de 1,200 milhões de m3/ ano entre painéis de MDP, MDF, madeira serrada e Teca. Neste momento, a Berneck opera com a linha de MDP em 80% da capacidade e a linha do MDF, que iniciou em outubro de 2008, em 50%. Cerca de 90% da produção de painéis de madeira é consumida no mercado interno.

Gilson Berneck, diretor presidente, acredita que a união entre indústrias como uma boa oportunidade de reduzir custos. “Neste momento, em que os preços vêm caindo de forma desenfreada pela oferta estar muito mais alta do que a demanda, a união entre empresas acaba sendo uma saída importante para continuar no mercado. O mais importante é ter custo baixo”, afirma.

Ele também revela a intenção da empresa em aproveitar o momento econômico para crescer. “A Berneck tem as portas abertas para negociações de compra ou fusão com outras empresas do setor, pois entendemos que trará redução de custos. Acreditamos que até o final do ano diversas movimentações como a da Duratex e Satipel ocorrerão”. Graça Berneck, gerente de marketing, completa: “Os momentos de crise são os grandes responsáveis por grandes movimentos empresariais, que geralmente têm o objetivo de tornar as empresas mais competitivas para a sobrevivência futura de um setor”.


MUDANÇAS

A principal mudança apontada pelos entrevistados é o fortalecimento do setor de painéis de madeira, principalmente no mercado interno, que consome a maior parte da produção. Porém, como conseqüência, as novas empresas também vão se fortalecer no mercado, o que traz preocupações para indústrias menores. Segundo o consultor Ivan Tomaselli, as pequenas empresas devem aproveitar a sua localização em áreas em que têm uma vantagem comparativa em relação aos produtores de maior capacidade. “Se a empresa estiver localizada no Pará, pode atender a região norte e nordeste do país e isso a tornará mais competitiva que uma empresa maior localizada no sul, porque os custos com transporte seriam menores”, explica.

Para os moveleiros, Maristela Longhi acredita que nada deve mudar, por enquanto. Ainda assim, ela espera mais união entre produtores de painéis e fabricantes de móveis. “Esperamos que haja uma maior aproximação para que juntos possamos encontrar as melhores soluções, para incrementar as vendas da cadeia produtiva de madeira e móveis ou gerar mais necessidades de consumo de móveis aos consumidores”, revela. Longhi também demonstra preocupação em que esse processo não acabe provocando um cartel, onde não exista mais uma concorrência saudável e alerta: “Se houverem abusos no Brasil, automaticamente as empresas vão buscar material para suprir a demanda que temos aqui em outros países”.
 


Fonte: Portal Moveleiro. Por Caroline Garcia.



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

30/09/2020 às 01:54

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


7499 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey