Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


25/06/2013

Executivo da Riograndenses traça raio x do setor e desmitifica questões sobre plantio de eucalipto

Na pauta estão temas como preservação do solo, resíduos sólidos e geração de empregos

Foto: Google

Com referência ao position paper da Celulose Riograndense que destacou os números da expansão da fábrica de Guaíba até abril deste ano, o diretor presidente Walter Lídio Nunes esclarece algumas questões importantes sobre a plantação de eucaliptos. Ele desmistifica, por exemplo, o fato do solo da plantação de eucaliptos virar deserto depois de algum tempo. Veja entrevista completa abaixo. 

CeluloseOnline: Como o Brasil se posiciona no setor de silvicultura?

Walter Lídio Nunes - O Brasil possui uma área de florestas plantadas de 6,8 milhões de hectares, incluindo eucalipto, pinus e outros grupos de espécies comerciais. Ocupa o 10º lugar no ranking dos maiores produtores mundiais de florestas comerciais plantadas, embora que, com sua extensão territorial, clima e seu conhecimento científico avançado em genética florestal, tivesse  condições de figurar numa colocação bem mais representativa. 

CeluloseOnline: A floresta de eucaliptos é uma monocultura. Isso não faz com que haja perigo de degradação do solo?

Walter Lídio Nunes - Embora seja um cultivo homogêneo, pode ser feito com técnicas que conciliam a conservação de solos, recursos hídricos e diversidade biológica com base em caracterização de cada área e planejamento operacional e ambiental. Qualquer cultura ou atividade agrícola, se efetuada de forma errônea, tem potencial para provocar a degradação do solo. Torna-se essencial o uso de técnicas de manejo e conservação do solo tais como plantio em nível, mapeamento e classificação das áreas, seleção de implementos em função das características de cada área, não uso de queima, preparo mínimo ou em faixas, bem como alocação correta de estradas e carreadores. Do ponto de vista da fertilidade é preciso repor os nutrientes exportados na colheita, bem como reforçar a reserva do solo, em função da produtividade esperada, exigência dos materiais genéticos e disponibilidade no próprio solo. Existe, inclusive, a possibilidade de plantio em solos degradados para a produção de floresta e sua recuperação.

CeluloseOnline: Que tipo de solo suporta a plantação de eucaliptos?

Walter Lídio Nunes - Qualquer tipo de solo pode ser utilizado para o plantio do eucalipto, exceto solos rasos, pedregosos e encharcados, ou seja, os campos rochosos e os banhados são sempre preservados nas propriedades onde se emprega o manejo florestal.

CeluloseOnline - O solo plantado com eucaliptos pode virar um deserto?

Walter Lídio Nunes - Não. No Brasil existem áreas cultivadas com eucalipto há mais de 70 anos sem problemas de desertificação ou secamento. A desertificação ocorre muito mais em função de condições climáticas (baixa precipitação) e características do solo (solos arenosos) aliadas a práticas inadequadas de manejo.

CeluloseOnline:O plantio de eucaliptos pode estar associado a outras plantações?

Walter Lídio Nunes - Uma propriedade pode contemplar múltiplas culturas, valendo-se de técnicas adequadas para cada uma. O plantio de eucaliptos tanto pode ser feito em consórcio com algumas culturas ou mesmo com a criação de gado, como pode ser feito numa parcela da propriedade enquanto outras áreas são utilizadas para cultivos anuais de diferentes tipos. Temos no fomento florestal vários exemplos de plantios consorciados com melancia, milho, feijão e hortigranjeiros juntamente com o eucalipto aproveitando o mesmo preparo de solo e tratos para as duas culturas, diminuindo os custos de ambas as culturas e melhorando a renda desta área. Por exemplo, a partir de um ano de idade do plantio o gado pode ser manejado junto ao eucalipto.

CeluloseOnline: O uso de herbicidas utilizados na plantação de eucaliptos pode afetar o solo?

Walter Lídio Nunes - Na cultura do eucalipto a utilização dos herbicidas se dá principalmente na fase inicial (até 1 ano) e os produtos aplicados têm baixo poder residual, como por exemplo o glifosato,  procurando-se observar as dosagens tecnicamente recomendadas (2 a 4 l/ha), bem como as técnicas e equipamentos adequados para a aplicação. Vale frisar que a aplicação nos plantios florestais numa dada área ocorrerá somente uma vez a cada sete anos, diferentemente das culturas agrícolas anuais. 

CeluloseOnline: O que é feito com os tocos das árvores depois do corte?

Walter Lídio Nunes - Após a colheita, os tocos ficam no solo até serem degradados por organismos decompositores, produzindo matéria-orgânica que é incorporada ao solo. Não há nenhum prejuízo à natureza e muitas culturas podem conviver com os tocos até que os mesmos apodreçam. Considerando a perspectiva de manter o uso florestal da área, são utilizados espaçamentos mais abertos (3m x 3m) para facilitar as reformas futuras sem a necessidade de remover os tocos, através do preparo do solo e plantio nas entrelinhas do plantio anterior.

CeluloseOnline: O que se aproveita dos plantios florestais?

Walter Lídio Nunes - A floresta comercial pode ser plantada para diferentes finalidades. A Acácia, além da madeira, fornece, através da sua casca, extrativos que são utilizados no curtimento do couro e confecção de vários tipos de adesivos. Já o Pinus, além da madeira, também pode fornecer resina. O eucalipto possui rápido crescimento e alta eficiência fotossintética (uso da luz e nutrientes) sendo, portanto, uma espécie com alto poder de fixação de carbono. A madeira de eucalipto pode ser usada para diversas finalidades, como celulose, construção civil e movelaria.

CeluloseOnline: Como as empresas de base florestal analisam o setor e os aspectos ambientais?

Walter Lídio Nunes - As empresas são cada vez mais pressionadas e levadas a seguir regras rigorosas que visam a elevação da performance ambiental. Um dos mecanismos utilizados pelos consumidores para esta pressão é a cobrança por certificados de manejo ambiental. As certificações estabelecem critérios ambientais que exigem, além do atendimento à legislação aplicável, um planejamento ambiental muito bem embasado. Assim, as empresas se valem de modernas tecnologias de diagnóstico e planejamento para contemplar o componente ambiental em suas atividades.

CeluloseOnline: E quanto a produção de carbono, um dos maiores responsáveis pelo efeito estufa?

Walter Lídio Nunes - Ocorre a captura e fixa carbono da atmosfera via fotossíntese para a produção de biomassa. O eucalipto possui rápido crescimento e alta eficiência fotossintética sendo, portanto, uma espécie com alto poder de fixação de carbono. Sem dúvidas, o efeito é positivo. 

CeluloseOnline: Quais os impactos dos novos investimentos previstos para o setor?

Walter Lídio Nunes - Haverá diversos impactos positivos, como a recuperação de matas ciliares, a implementação de práticas de conservação do solo, a disponibilização de uma alternativa de uso econômico de áreas degradadas e o investimento em qualificação de mão-de-obra, além da própria geração de empregos na área florestal. A geração de empregos diretos (que inclui prestadores de serviços, pois trata-se de empregos permanentes) na Celulose Riograndense é de 1 emprego a cada 36 ha. Em levantamento que temos realizado em propriedades adquiridas, verificamos que este índice é bastante superior ao de outras atividades, tal como a pecuária. 

Os ambientes de campo com presença de espécies endêmicas, raras ou ameaçadas serão preservados dentro das propriedades destinadas ao plantio florestal com base em estudos e mapeamentos e orientação técnica adequada.


Fonte: Position paper da Celulose Riograndense / Adaptado por CeluloseOnline



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (1)


Vanda disse:

02/07/2013 às 02:10

Parabéns ao executivo da Riograndenses. Com visão de mercado, porém com bases ambientais.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1524 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE   |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey