Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


04/05/2009

Europa Não Apóia Piso para os Preços do Carbono

Na Europa, a idéia da imposição de um piso, ou um valor mínimo sobre os preços do carbono, tem sido rejeitada nas últimas semanas a favor da não-intervenção de um mecanismo regido apenas pelas forças de mercado

Discussões sobre um piso para o carbono foram levantadas devido à queda descomunal dos preços nos últimos meses causada pela recessão econômica, caindo de cerca de € 30 para € 12 atualmente. A crise na economia global causou uma queda na produção industrial, que consequentemente não precisava mais de tantas permissões de emissão.

A preocupação é que preços muitos baixos acabem com os incentivos para que as indústrias e usinas de energia substituam combustíveis fósseis por alternativos e melhorem a eficiência energética. Neste contexto surgem críticas quanto a integridade ambiental do esquema, que deveria em primeiro lugar mitigar as causas das mudanças climáticas.

Outro problema seria a diminuição da renda obtida com o esquema de comércio de emissões, que de acordo com as discussões do acordo climático que poderá substituir o Protocolo de Quioto, seriam direcionadas para mitigação e adaptação às mudanças climáticas.

Em março de 2009, a PricewaterhouseCoopers lançou um relatório defendendo uma proposta mista, na qual mistura a segurança das taxas com a flexibilidade dos esquemas de comércio de emissões, com a justificativa de que é necessário oferecer maiores certezas para as empresas que investem em tecnologias com baixas emissões de carbono (‘low carbon’).

A porta-voz da Comissão Européia Barbara Helfferich disse que o esquema de comércio de emissões sempre teve como objetivo ser um instrumento de mercado. “Um preço-piso pode interferir desnecessariamente sobre o mercado. Já tivemos baixas nos preços e o mercado não entrou em colapso”, ressaltou ela.

De acordo com o The Ethical Corporation, o centro de Estratégias Climáticas da Universidade de Cambridge alega que o piso poderia ser colocado nos leilões e se os lances não fossem altos o suficiente, as permissões seriam retiradas do mercado, restringindo a oferta e aumentando os preços do carbono.

O site também apresenta uma pesquisa da Associação Internacional de Comércio de Emissões (IETA) que demonstra que 75% dos membros que responderam uma pesquisa interna são contra o piso e qualquer forma de intervenção no mercado. Se o objetivo do mercado era reduzir as emissões de CO2 a um custo menor, “então não podemos, por definição, ter um preço-piso”, explicou Michela Beltracchi da IETA.
 


Fonte: Carbono Brasil. Por Fernanda B. Muller



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

19/07/2019 às 10:06

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


726 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey