Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


01/09/2014

Estudo de sazonalidade para mofo cinzento, manchas bacterianas foliares e oídio, para subsidiar a tomada de decisão das intervenções químicas e facilitar o gerenciamento do manejo de mudas

Dissertação apresentada à Faculdade de Ciências Agronômicas da Universidade Estadual Paulista?Júlio de Mesquita Filho? de autoria de Juliana de Lima Gonçalves, relata sobre a Sazonalidade de ocorrência de mofo cinzento, oídio e manchas bacterianas foliares em dois viveiros de produção de mudas clonais de eucalipto.

Foto ilustrativa - Google
As ocorrências de doenças podem comprometer a produção de mudas de eucalipto em qualquer uma de suas fases, assim como o seu estabelecimento e a produtividade florestal. Sendo assim, seu manejo constitui uma das principais preocupações do processo produtivo de mudas de eucalipto e do seu controle de qualidade. De forma geral, os viveiros florestais empregam sistemas de monitoramento, a fim de subsidiar a decisão de realizar o controle de doenças. Todavia, ainda não existe um sistema padronizado e tampouco, um procedimento totalmente integrado na rotina dos profissionais de produção de mudas, que permita prever a época da ocorrência da doença.
            O objetivo deste trabalho foi desenvolver um sistema de coleta de dados, utilizando parâmetros climáticos anuais e variáveis simples, a fim de se ter um estudo de sazonalidade para mofo cinzento, manchas bacterianas foliares e oídio, para subsidiar a tomada de decisão das intervenções químicas e facilitar o gerenciamento do manejo de mudas.
            Para tal, foram monitoradas todas as etapas produtivas de dois viveiros de produção de mudas localizados no Estado de São Paulo: Capão Bonito e Jacareí. Tais etapas englobam a produção de miniestacas em minijardim clonal, enraizamento em casa de vegetação, aclimatação, crescimento e rustificação das mudas. Para determinar a sazonalidade dos patógenos nos viveiros, foi necessária a padronização das coletas de dados e a confecção de uma planilha. Para isso, ficaram definidas as seguintes variáveis a serem coletadas a cada intervenção química: nome do profissional, data, horário, patógeno, severidade, local, produto, dose, temperatura e precipitação. Os dados de série temporal foram digitados em planilhas eletrônicas do Microsoft Excel®, processados por tabelas dinâmicas, e analisados estatisticamente pelo software estatístico Minitab 16®, que gerou as correlações entre a influência dos fatores climáticos em cada uma das doenças citadas.
            A planilha de coleta de dados mostrou ser bastante útil e o estudo de sazonalidade poderá ser base para a previsão das ocorrências de doenças nos viveiros. Apesar das análises estatísticas não terem demonstrado correlação para todas as variáveis climáticas analisadas, os gráficos de sazonalidade corroboram com a literatura, podendo-se antecipar as medidas profiláticas e reduzir o risco de perdas de produtividade devido ao ataque de patógenos. 

Trabalho completo disponível no site da Biblioteca digital florestal: http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br/handle/123456789/9646


Fonte: Marina Lotti e Ana Teresa Leite - BIC: Biblioteca Digital Florestal



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

24/08/2019 às 09:30

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


3679 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey