Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


27/11/2014

Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia celebra 40º aniversário

Foto: Claudio Bezerra

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia comemorou nesta segunda-feira (24/11) o seu 40º aniversário de inauguração, completados no último sábado, dia 22/11. A solenidade contou com a presença do presidente da Embrapa, Maurício Lopes, do Chefe Geral da Unidade, José Manuel Cabral de Sousa Dias, da Diretora Geral da Bioversity International, Margareth Ann Tutwiler, do Deputado Distrital Joe Valle (PDT/DF), do presidente da Emater/DF Marcelo Piccin, do Representante-residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Jorge Chediek e do presidente do presidente da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) e do Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt), Milton Garbugio.

O ponto alto da solenidade consistiu na assinatura de contratos de cooperação com instituições nacionais e internacionais para repassar ao setor produtivo do país e a outros países parte da experiência adquirida pela Unidade ao longo de quatro décadas de pesquisas dedicadas à conservação e ao uso de recursos genéticos. O Chefe Geral da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, José Manuel Cabral, abriu a cerimônia relembrando que a Unidade foi a sexta da Embrapa a ser formalizada e surgiu a partir de um alerta das Nações Unidades em 1972 sobre a necessidade de se conservar os recursos naturais e os recursos genéticos. Dessa forma, explicou Cabral, a Unidade surgiu com a missão de coletar, caracterizar, conservar e documentar os recursos genéticos vegetais e de coordenar a Rede de Recursos Genéticos da Embrapa. Posteriormente, em 1976, foi adicionada à missão da Unidade a tarefa de realizar a quarentena das espécies vegetais introduzidas no Brasil para fins de pesquisa e, no início da década de 80, tiveram início as atividades com recursos genéticos animais, biotecnologia e controle biológico de pragas.

"Ao longo dos anos, melhoramos a capacidade de armazenamento tanto in situ quanto ex situ e também atuamos cada vez mais para atender as demandas por Sustentabilidade; Alimentação, Nutrição e Saúde; Redução da pobreza; Contribuição para as Políticas Públicas e Avanço na fronteira do conhecimento", afirmou, citando os temas que estarão presentes na sexta versão do Plano Diretor da Embrapa. O Chefe Geral afirmou ainda que a Unidade está preparada para o futuro: "A equipe está preparada para os desafios dos próximos anos e determinada a escrever mais 40 anos de nossa vitoriosa história. Vamos a ela!", conclamou.

O presidente da Embrapa, Maurício Lopes, lembrou que os recursos genéticos são a chave para a resolução de muitos dos problemas alimentares e ambientais de hoje, incluindo as alterações provocadas pelas mudanças climáticas. "A ciência baseada na agricultura que incorpora uma maior biodiversidade pode fazer muito para aumentar o bem-estar na sociedade. Dada a demanda global atual e futura, temos de estimular ainda mais os ganhos de produtividade e o desenvolvimento e/ou adaptação de tecnologias para a economia de recursos que, ao impulsionarem o crescimento da produção, também ajudarão a proteger o meio ambiente", disse o presidente da Embrapa.

O presidente da Emater/DF, Marcelo Piccin, lembrou do grande desafio que é erradicar a pobreza e promover a soberania alimentar no nosso país. "Ainda temos 3,5 milhões de agricultores que pouco se engajaram no processo de grandes transferências sociais e econômicas que temos feito no nosso país", afirmou. Já o Deputado Distrital Joe Valle (PDT/DF), que também é produtor de orgânicos no Distrito Federal, afirmou que "o servidor público precisa servir o público e ter no serviço altruísta a sua grande meta, e nessa empresa (a Embrapa), percebemos isso. A "senhora" Embrapa é a maior e a melhor empresa do nosso país", afirmou o deputado.
 

Empregados mais antigos foram homenageados

Os três empregados mais antigos da Unidade foram homenageados na solenidade do 40º aniversário da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia. O primeiro foi o pesquisador Arthur da Silva Mariante, que pode ser considerado o mais antigo de todos, tendo sido oficialmente contratado no dia 01/03/1974, antes mesmo da inauguração oficial da Unidade. Mariante, que está em viagem oficial à Roma, foi representado pela esposa Lêda Mariante, que recebeu a placa com a homenagem ao esposo. Em seguida, foi homenageada a técnica da área de recursos genéticos Lucimar Silva Padilha, admitida em 01/09/1974. Ela foi representada pelo pesquisador e colega Juliano Pádua.

A homenagem mais emocionante, no entanto, foi a da pesquisadora Clara Oliveira Goedert, considerada precursora das pesquisas com recursos genéticos no Brasil. Oficialmente, ela só entrou na Unidade em 1976, mas, como explicou o Chefe Geral José Manuel Cabral, "o amor, garra e determinação a tornam um baluarte da Unidade e um exemplo para todos nós". Em seu discurso, que emocionou a todos os presentes, Clarinha fez um agradecimento especial ao que considera ser o seu "mentor", o ex-Chefe Geral da Unidade Dalmo Giacometti, e compartilhou a homenagem com todos os seus colegas de trabalho.

"Dedico esta homenagem a todos os que trabalham nesta casa, desde a guarita até o pesquisador mais graduado, por dedicarem solidariedade e respeito para com a minha pessoa nesses anos todos, especialmente nesses últimos. Também dedico esta homenagem aos meus anjos da guarda, o meu filho e a minha nora, que são os meus olhos e os meus braços", falou a pesquisadora, emocionada.
 

Unidade Experimental de Desenvolvimento de Bioinseticidas é inaugurada

A parceria da Embrapa com o Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) resultou na inauguração, nesta segunda-feira (24/11), pouco antes da solenidade do 40º aniversário da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, da Unidade Experimental de Desenvolvimento de Bioinseticidas, contruída com recursos financeiros do IMAmt. Localizada ao lado do Prédio do Controle Biológico, o local será coordenado pela pesquisadora Rose Monnerat e contará com a presença permanente do pesquisador do IMAmt Carlos Marcelo Soares.

O trabalho da equipe será selecionar, entre as mais de 2.500 variedades de bactérias entomopatogênicas (de uso específico contra insetos) da coleção microbiana mantida pela Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, as que possam ser úteis para o desenvolvimento de bioinseticidas que auxiliem no controle de pragas do algodoeiro.

De acordo com o presidente do IMAmt, Milton Garbugio, uma grande preocupação dos produtores de algodão são as lagartas Helicoverpa armigera e Spodoptera frugiperda, responsáveis, juntas, por perdas superiores a 80% nas lavouras de algodão. "A pesquisa da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia será útil na produção de biolarvicidas para o controle das pragas que atacam os nossos algodoeiros. A biotecnologia é o nosso futuro e essa parceria é apenas o começo", disse Garbugio. Além dos produtos voltados ao controle biológico de pragas, a nova unidade também poderá pesquisar novos genes para o desenvolvimento de plantas resistentes a insetos. O diretor executivo do IMAmt, Alvaro Salles, também esteve presente na solenidade.
 

Cooperação com o PNUD e a ANVISA vai verificar qualidade de produtos biológicos que estão no mercado

Também foi assinada uma Carta-acordo entre a Embrapa e o Programa as Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) cujo objetivo é apoiar financeiramente a elaboração de protocolos para determinar a qualidade de produtos biológicos pós-comercialização, ou seja, que já se encontram no mercado. O Representante-residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Jorge Chediek, afirmou que a Embrapa é um exemplo mundial de como um país em desenvolvimento pode gerar pesquisa e criar novas tecnologias que contribuem para combater a fome e a miséria a nível global. "O Brasil é uma esperança para o mundo", disse Chediek.

A ação será feita em parceria com Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e também terá o apoio da Fundação Eliseu Alves. Os protocolos serão desenvolvidos pela equipe do Laboratório de Bactérias Entomopatogênicas (LBE) da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, sob a coordenação da pesquisadora Rose Monnerat. Vale lembrar que o laboratório recebeu este ano a acreditação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) na norma de qualidade ABNT NBR ISO/IEC 17.025, o que o torna apto a prestar serviços a instituições públicas e privadas do Brasil e do exterior.

Acordo com a Bioversity International ajudará a impulsionar sistemas alimentares sustentáveis

Ajudar a impulsionar a adoção de sistemas alimentares sustentáveis é o objetivo do Memorando de Entendimento assinado durante a solenidade entre a Embrapa e a Bioversity International, organização internacional de pesquisa para o desenvolvimento da biodiversidade agrícola mundial. O acordo terá a duração inicial de cinco anos e consistirá no trabalho conjunto entre as duas instituições para fazer avançar as frentes de pesquisa relacionadas ao desenvolvimento agrícola sustentável no mundo. "Vivemos um momento de grande pressão sobre os recursos naturais, alimentada por um rápido crescimento econômico, em particular das economias de média renda, pelo aumento crescente da população global e da urbanização, além do cenário das mudanças climáticas", afirmou a Diretora-Geral da Bioversity Internacional, Ann Margareth Tutwiller.

Os projetos conjuntos entre as duas instituições também se concentrarão em pesquisas relacionadas à gestão dos recursos naturais e da biodiversidade, como a conservação in situ e on farm (o que inclui a salvaguarda da biodiversidade em bancos de sementes e reservas naturais) e pesquisas relacionadas à intensificação sustentável dos sistemas alimentares, nutrição, mercados, política e desenvolvimento rural. "Estima-se que o mundo precisa produzir 60% mais alimentos até 2050 para alimentar uma população global de mais de 9 bilhões de pessoas. Ao mesmo tempo, a agricultura deve produzir mais de forma sustentável, a fim de se adaptar e mitigar os efeitos das alterações climáticas. A biodiversidade agrícola é uma alavanca estratégica para responder a este desafio", lembrou Tutwiller. O acordo inclui ainda a promoção de intercâmbio de pesquisadores entre as duas instituições.

A Bioversity International também completou 40 anos em 2014 e possui acordos de cooperação com mais de 600 instituições de vários países. Com a Embrapa, já foram realizados diversos projetos ao longo dos últimos cinco anos, incluindo o desenvolvimento de normas para sistemas de informação, avaliação de coleções de germoplasma de banana, coco e cacau e pesquisa sobre espécies nativas nutritivas e negligenciadas e sua gestão sustentável.

Unidade lançou seis publicações em 2014

Um total de seis publicações relacionadas à pesquisa desenvolvida na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia foram apresentadas durante a solenidade em comemoração ao 40º aniversário da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia. São elas:

- Histórias e Memórias da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia

- Relatório de Atividades 2013

- O Legado de Darwin e a Pesquisa Agropecuária

- Agricultores que cultivam árvores no Cerrado

- Recursos Genéticos de Plantas Conservados na Embrapa: Histórico e inventário atualizado

- Abelhas em Áreas de Cultivo de Algodoeiro no Brasil


Fonte: Embrapa / Grupo Cultivar



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

30/09/2020 às 02:26

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1426 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey