Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


26/08/2015

Eficiência de adubos fosfatados em plantios de mudas de Eucalyptus dunnii Maiden e Eucalyptus benthamii Maiden et Cambage em solo sem e com calagem

Artigo submetido à revista Ciência Florestal, v. 25, n. 1, p. 37-48, jan.-mar., 2015, de autoria de Luciana Patrícia Rosa Dias, Luciano Colpo Gatiboni, Gustavo Brunetto, Márcia Aparecida Simonete e Bruna Bicaratto, relata sobre a Eficiência relativa de fosfatos naturais na adubação de plantio de mudas de Eucalyptus dunnii Maiden e Eucalyptus benthamii Maiden et Cambage em solo sem e com calagem.

Revista Glogo Rural
Os florestamentos e reflorestamentos de eucalipto no Brasil, em geral, estão localizados em solos com baixa fertilidade natural, sendo a baixa disponibilidade de P uma das causas mais limitantes do crescimento e da produção florestal (FRANCO, 1984). Por esse motivo é que o eucalipto, na maioria desses solos, responde positivamente à adubação fosfatada (GAVA, 2003).

A finalidade principal da adubação de plantio é promover o arranque inicial no crescimento das mudas, fase que se estende até o sexto mês a partir da implantação do florestamento (GONÇALVES, 1995). Nesta fase, o aumento do teor de P no solo proporciona um maior incremento no crescimento inicial das plantas (SILVA et al., 2007).

O eucalipto possui uma grande exigência de fósforo (P) na fase de implantação do povoamento. Por isso o seu nível crítico de P é mais alto na fase inicial de desenvolvimento, diminuindo com o aumento da idade. O trabalho objetivou avaliar a resposta no crescimento inicial de eucalipto à adubação fosfatada e a eficiência relativa (ER) de fosfatos naturais (FNs) em solos sem e com calagem. Para isso, foram conduzidos, no período de outubro de 2010 a fevereiro de 2011, dois experimentos em casa de vegetação, na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), em Lages (SC), um com mudas de Eucalyptus dunnii e outro com Eucalyptus benthamii, utilizando os FNs Bayovar, Gafsa e Djebel, além do superfosfato triplo e testemunha (sem P), em um Cambissolo Húmico sem e com calagem.

O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado em arranjo fatorial 5 x 2 (cinco fontes de P e dois níveis de calagem), com quatro repetições. As plantas foram cultivadas por 110 dias e após a colheita, foram determinados a produção de matéria seca (por diferença de peso úmido e peso seco) e o acúmulo de P no tecido vegetal das diferentes partes da planta (determinado por espectrofotometria em comprimento de onda de 882 nm, após redução do complexo fosfomolibidato com ácido ascórbico). A eficiência relativa dos FNs (%) foi calculada a partir dos dados obtidos de matéria seca de parte aérea e matéria seca total. Para a correlação entre os parâmetros de teor de P acumulado na planta e os teores de P disponível no solo foi aplicado o Teste de Correlação de Pearson (P<0,05).

Todas as fontes de P apresentaram comportamento semelhante entre si, mas foram superiores à testemunha, entretanto, o uso destas fontes provocou aumento na produção de matéria seca e no teor de P acumulado na parte aérea das plantas de Eucalyptus benthamii e Eucalyptus dunnii aos 110 dias de crescimento em relação ao tratamento testemunha independente da correção do solo. No solo sem calagem, as ERs médias foram 75, 91 e 94% respectivamente para os FNs Bayovar, Gafsa e Djebel. Para os solos com calagem, as ERs médias foram 65, 24 e 25%, para os mesmos fosfatos. Nos tratamentos sem adição de calcário, a eficiência relativa dos FNs foi maior em comparação aos solos com calagem. 


Fonte: Luciana Patrícia Rosa Dias - Biblioteca Digital UFV



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

19/08/2019 às 01:49

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


2205 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey