Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


27/01/2010

Economia de Base Florestal Aumenta Renda Familiar e Conserva Florestas

Dados da Secretaria Estadual de Florestas do Acre (SEF) demonstram que o manejo florestal feito a partir de parcerias entre comunidades, empresas, governo e organizações não-governamentais tem gerado resultados positivos: a renda média anual de uma família acreana da área rural, que variava entre R$ 1,2 mil e R$ 3 mil, tem subido para valores entre R$ 4 mil e R$ 6,5 mil/ano com as atividades de manejo.

Valciclei da Silva, 20 anos, habitante do Seringal Equador, exibe com orgulho sua mais nova aquisição: uma motocicleta zero quilômetro, comprada em outubro de 2009. O veículo, que antes parecia um sonho distante, tornou-se realidade graças à renda obtida a partir do manejo florestal. Produtos como madeira, borracha e castanha-do-Brasil, que contribuem para conservar a biodiversidade, têm proporcionado, depois de muitos anos, bons preços aos produtores que moram na floresta.

Com a venda da madeira, da seringa e da castanha, a vida de toda a comunidade já melhorou muito. O pessoal está comprando motos, eletrônicos, roupas e melhorando a casa, relata Valciclei, que nasceu em Xapuri. Ele mora com a mãe e a irmã e é responsável por sustentar a casa.

Dados da Secretaria Estadual de Florestas do Acre (SEF) demonstram que o manejo florestal feito a partir de parcerias entre comunidades, empresas, governo e organizações não-governamentais tem gerado resultados positivos: a renda média anual de uma família acreana da área rural, que variava entre R$ 1,2 mil e R$ 3 mil, tem subido para valores entre R$ 4 mil e R$ 6,5 mil/ano com as atividades de manejo.

De acordo com o secretário estadual de Florestas, Carlos Ovídio Rezende, o manejo florestal não apenas aumenta a renda familiar, como também contribui para a valorização dos imóveis rurais. Sem plano de manejo, uma propriedade de 300 hectares vale entre R$ 10 mil e R$ 15 mil. Com o plano, sobre para R$ 80 mil. Se for acrescentado o valor do ativo madeireiro com potencial de ser explorado pelo manejo, chega a valer mais de R$ 200 mil, atesta Rezende.

O secretário também salienta que, se a floresta for explorada economicamente de forma diversificada, poderá assegurar bons níveis de rendimento para as famílias locais. Há 10 anos, a floresta gerava cerca de US$ 15 por hectare/ano. Hoje, onde se faz o manejo de forma combinada para produtos como borracha, castanha, copaíba e madeira, esse valor ultrapassa os US$ 90, informa.

Certificação FSC

No Projeto de Assentamento Agroextrativista (PAE) do Cachoeira, na região de Xapuri, a madeira extraída pela comunidade tem um importante diferencial: a certificação FSC (Conselho de Manejo Florestal). O selo comprova que a produção acontece em conformidade com a legislação trabalhista e fiscal, além de seguir rigorosos padrões sociais e ambientais.

A certificação FSC do PAE Cachoeira aconteceu em 2002, com apoio direto do WWF-Brasil, que contribuiu para criar a Cooperfloresta, cooperativa que organiza a produção local e estabelece relações de mercado para a venda da produção.

Iniciativa privada

Empresas privadas instaladas no Acre se tornaram os principais compradores da madeira produzida de forma sustentável pelas comunidades. A Laminados Triunfo, que opera no estado desde 2003, é o principal destino da produção madeireira comunitária no Acre.

De acordo com Jandir Santin, diretor da Triunfo, além de contribuir para a conservação das florestas e para o aumento de renda das famílias acreanas, a madeira originária do manejo florestal comunitário também gera excelentes negócios. O mercado externo está 100% na madeira certificada. Enquanto o setor de madeira tropical no Brasil está desaquecido, a Triunfo está crescendo, diz.

Jandir anuncia que a opção pela madeira certificada e as parcerias com comunidades, governo e ONGs têm contribuído de forma substancial para o crescimento da Triunfo em um momento de crise internacional. Nossa produção em 2010 vai dobrar e vamos passar de 400 para 700 funcionários em nossa unidade no Acre, declara.

Outro importante comprador da madeira certificada comunitária no Acre é a fábrica de pisos de madeira, construída pelo governo estadual e operada pelas empresas Triunfo, Ouro Verde e Albuquerque, que adquirem a madeira de comunidades. Trata-se de uma modalidade que combina poder público, iniciativa privada e base comunitária.

Segundo Mauro Armelin, coordenador do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável do WWF-Brasil, os resultados positivos no Acre demonstram que o manejo pode gerar mais renda que as práticas predatórias da floresta e que os usos tradicionais agrícolas.

Mauro Armelin acrescenta, porém, que para modelos produtivos sustentáveis serem ampliados é fundamental que consumidores e empresários participem de forma ativa dos processos. "É preciso que o mercado reconheça e apoie os produtos sustentáveis, especialmente aqueles originários de comunidades. O cidadão tem em suas mãos o poder de escolher mercadorias com a certificação FSC e fazer a diferença", exemplifica.


Fonte: WWF Brasil citado por REMADE



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

23/09/2020 às 17:10

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


905 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey