Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


18/03/2013

Dinâmica do uso e ocupação da terra na microbacia do ribeirão São Bartolomeu - Viçosa, MG

Dissertação de Mestrado defendida no Departamento de Engenharia Florestal da UFV pela Engenheira Florestal Tássia Alves Costa, sobre o mapeamento do uso e ocupação na microbacia do ribeirão São Bartolomeu.

Área de estudo da dissertação
O uso indevido da terra tem gerado enorme pressão sobre os recursos naturais, e trazido preocupação em diversos setores da sociedade. É neste cenário que os objetivos deste trabalho foram fundamentados: mapear as classes de uso e ocupação da terra e os seus conflitos com as Áreas de Preservação Permanente (APP) nos anos de 1963, 1987 e 2007. A região de estudo a microbacia do ribeirão São Bartolomeu, situada na região da Zona da Mata Mineira, município de Viçosa, Estado de Minas Gerais. Em seguida, utilizando-se das ferramentas de geoprocessamento e sensoriamento remoto, foram mapeadas as seguintes classes de uso da terra: Agricultura, Área Urbana, Benfeitoria, Cafezal, Floresta Nativa, Floresta Plantada, Lagos, Pastagem e Vias de Acesso. A classe predominante na área de estudo foi a de Pastagem, que ao longo do tempo, se manteve no patamar de 50%; as classes de Cafezal, Agricultura e Área Urbana experimentaram grandes expansões do ano de 1963 para os anos de 1987 e 2007; a classe de Floresta Nativa sofreu pequenas alterações entre as datas avaliadas, tendo permanecido próximo de 30% da área de ocupação. Em relação aos conflitos de uso da terra, a classe de x Pastagem permaneceu no patamar de 50% de ocupação das APP. A classe de Agricultura teve sua área de ocupação em APP aumentada, enquanto que a classe de Cafezal foi reduzida de aproximadamente 70% em 1963 para 50% em 2007, embora permanecendo num elevado nível de ilegalidade de acordo com a legislação ambiental vigente. Com exceção das classes de Agricultura e Área Urbana no ano de 1963, todas as classes de uso da terra ocuparam mais de 30% das APP, indicando um elevado índice de uso indevido.

Orientação e Banca
Orientador: Vicente Paulo Soares
Co-orientador: Carlos Antonio A. Soares Ribeiro
Membro da banca: Laci Mota Alves
Para acesso à dissertação completa, acessar o link:
http://www.tede.ufv.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=4146




Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

07/07/2020 às 03:22

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


2174 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey