Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


10/06/2013

Dendrocronologia aplicada a espécies do Norte de Minas Gerais

Por Adriele de Lima Felix

Foto Divulgação
O crescimento de uma árvore responde a diversos fatores ambientais e bióticos que interagem. Uma forma de estudar e reconhecer esses fatores é através dos anéis de crescimento e sua relação com essas variações, o que fornece um banco de dados relacionado a climatologia, ecologia de florestas e manejo florestal.
          Durante muito tempo, acreditou-se que árvores de áreas tropicais não apresentavam o crescimento anual registrado em anéis, mas essa teoria tem sido erradicada pela prova da ocorrência desses anéis anuais em espécies tropicais no mundo. Como principais mecanismos dessa formação estão as inundações em planícies alagáveis e a sazonalidade bem definida da precipitação.
          As formações de Floresta Estacional Decidual são áreas propicias para o desenvolvimento desses estudos, uma vez que estão sujeitas a um período de sazonalidade pluvial. Sabendo disso, uma equipe da Universidade Federal de Lavras (UFLA), coordenados pela professora Ana Carolina Maiolini, realizou um estudo no Norte de Minas Gerais com algumas espécies florestais para avaliar as respectivas respostas no período sazonal através dos anéis. Através dos resultados encontrados, foi possível conhecer mecanismos eficientes na dinâmica dessas formações e, consequentemente, implicações para a conservação desses ecossistemas, bem como as espécies potenciais para realização do estudo.
          As amostras foram feitas em cinco fragmentos florestais, localizados em Pandeiros, Januária e Itacarambi. As amostras de lenho coletadas foram observadas e preparadas para que se analisassem de maneira clara a visualização de suas estruturas. Vinte e quatro (24) espécies foram amostradas e 75% delas apresentaram algum grau de visibilidade dos anéis. Daquelas que apresentaram maior visibilidade foram levantadas a idade e a taxa de crescimento, o que variou de 11 a 105 anos e de 0,2 a 0,7 cm.ano-¹. Verificou-se também que espécies com madeira de maior densidade apresentaram menores valores de incremento médio anual, e que a variação entre as árvores é efeito decorrente das condições de crescimento, forma das árvores e características genéticas.
          As espécies apresentaram diferentes taxas e formas de crescimento e isso se relaciona diretamente com o modo que elas respondem a fatores externos, como radiação, presença ou ausência de água.
Dentre as espécies amostradas, foi escolhida a Cedrela fissilis, para avaliação, pois ela apresentou melhores condições de visualização da estrutura. A cronologia obtida foi positivamente correlacionada com a precipitação regional durante a estação das chuvas e negativamente correlacionada com as temperaturas da superfície do mar (TSM) do Oceano Atlântico Tropical Sul nos períodos de outubro a março.
Esses resultados preliminares precisam ser confirmados por meio de discos completos obtidos dos troncos de árvores vivas e mortas na região de estudo, mas já apontam que cronologias de elevada sensibilidade climática podem ser desenvolvidas a partir dessa espécie na região Nordeste do Brasil.
 
 
Adriele de Lima Felix - Graduanda em Engenharia Florestal – Universidade Federal de Lavras (UFLA)
 




Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

27/01/2020 às 16:02

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


3060 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey