Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


23/04/2010

Corante Natural Aproveita Resíduo da Extração de Óleo

A extração de óleo essencial das folhas de eucalipto gera um resíduo efluente que não é aproveitado pela indústria. Pesquisa da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, em Piracicaba, testou o emprego desse resíduo como corante natural para tingimento de tecidos de algodão. O estudo comprovou seu potencial de uso, apresentando como principal vantagem nos tecidos finais tingidos a solidez de cor à luz e a lavagem em níveis aceitáveis pela indústria têxtil.

A extração de óleo essencial das folhas de eucalipto gera um resíduo efluente que não é aproveitado pela indústria. Pesquisa da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, em Piracicaba, testou o emprego desse resíduo como corante natural para tingimento de tecidos de algodão. O estudo comprovou seu potencial de uso, apresentando como principal vantagem nos tecidos finais tingidos a solidez de cor à luz e a lavagem em níveis aceitáveis pela indústria têxtil.

Tecido tingido com uso de corante natural apresenta coloração bege
O óleo essencial de eucalipto é empregado principalmente em produtos de limpeza. “As folhas, colocadas em um recipiente chamado dorna, são submetidas a pressão com vapor de água”, conta a engenheira florestal Ticiane Rossi, que realizou a pesquisa, sob orientação do professor José Otávio Brito, da Esalq. “O óleo é extraído por destilação, gerando na dorna um resíduo aquoso, de coloração enegrecida”, relata.

O resíduo normalmente é descartado na natureza. “O resíduo pode ser utilizado in natura ou passar por um processo de concentração para tingir os tecidos”, diz Ticiane.

Por meio da técnica de concentração, é possível reduzir o volume do efluente. “Isto gera uma diminuição de custos no transporte da matéria-prima para a indústria têxtil”, explica a engenheira florestal. Após o tingimento por esgotamento, processo adotado habitualmente nas indústrias, o tecido adquire coloração bege, sem necessidade de mordentes (sais metálicos) para fixar a cor.

Tecido

Segundo a pesquisadora, a fixação natural do corante ao tecido apresenta solidez da cor no produto final, desde que usado em dosagens adequadas. “Com o uso de mordentes, pode-se obter um tecido com outras opções de tonalidades”, conta, “mas no estudo apenas foi avaliado o tingimento natural, sem mordentes, para minimizar o impacto ambiental do processo”.

Efluente retirado na indústria de destilação do óleo de eucalipto
A pesquisa testou o uso do resíduo em tecidos de algodão, por ser a fibra natural utilizada no Brasil e no mundo, e a mais difícil de tingir. “Entretanto, o corante tem potencial para ser utilizado em seda, que é uma fibra natural, na viscose, uma fibra artificial, e na poliamida (nylon), que é fibra sintética”, ressalta Ticiane.

De acordo com a engenheira florestal, o uso do efluente como corante natural, além de valorizar a floresta, proporciona à indústria de óleo uma vantagem ambiental, pois o resíduo que não era aproveitado torna-se um co-produto. “Para a indústria têxtil, é um fator de diferenciação do produto final, além de facilitar o tratamento dos efluentes do processo de tingimento, pois o corante natural é provavelmente biodegradável”.

Além dos resultados técnicos e científicos obtidos na pesquisa, foi registrada uma patente do processo. Uma parceria entre os Laboratórios Integrados de Química, Celulose e Energia (LQCE) da Esalq junto a uma empresa têxtil pretende desenvolver produtos tingidos com o corante natural estudado.
 


Fonte: USP/BR citado por Remade



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

07/07/2020 às 02:58

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


4534 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey