Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


14/04/2012

Código Florestal: relatório final só sai em cima da votação

Transparência Zero: relator do Código Florestal quer apresentar parecer final apenas na véspera da votação, evitando assim, que críticas dos ambientalistas ?detonem? o texto

O relator Paulo Piau (PMDB-MG). Foto: Beto Oliveira/Agência Câmara
Na reta para a votação final da reforma do Código Florestal na Câmara, o relator Paulo Piau (PMDB-MG) insiste em divulgar o parecer com as alterações finais do texto apenas no dia 23 de abril, véspera da votação no plenário, prevista para o dia 24 e 25 de abril. O objetivo, declarado pelo próprio Piau, é evitar que críticas dos ambientalistas acabem mudando o texto. A estratégia de adiar até o último momento a divulgação é amparada pelas regras da Câmara, mas descabida do ponto de vista da transparência das informações públicas. Com 24 horas de tempo hábil, não haverá chance para a sociedade civil ou mesmo os deputados debaterem o que será votado. 

Mesmo assim, Piau defendeu abertamente a tática: "Na terça-feira, eu passarei o texto de forma confidencial ao presidente Marco Maia. Não é conveniente soltar o texto com tanta antecedência porque os radicais produtores e os radicais ambientalistas, que a imprensa escuta, detonam o relatório durante a semana. Isso não está correto porque apenas uma minoria detonou o relatório, em detrimento de uma maioria que a imprensa, via de regra, não escuta", criticou Paulo Piau.

Porém, o presidente da Câmara, Marco Maia, que já havia pedido a divulgação do parecer para o dia 17, insiste que o relatório seja entregue no prazo estipulado: “Uma semana para que se possa debater e para que todo o mundo tenha conhecimento do relatório é o mínimo que podemos exigir. Se ele não apresentar com uma semana de antecedência, estará colocando em risco a votação e aprovação do Código Florestal na semana do dia 24. Eu não acredito que ele fará isso", disse Maia. 

Erros Graves

Segundo Paulo Piau, o substitutivo do Senado apresenta erros graves que precisam ser corrigidos. Que pontos são esses, permanece obscuro, pois Piau não os especificou.  Segundo ele, "a Presidência da República ainda não tem a noção exata de que, se aplicar o Código Florestal do jeito que veio do Senado, muitos produtores e trabalhadores rurais desse país seriam expulsos do campo, sobretudo os pequenos. O governo está aberto ao diálogo e os deputados têm, por obrigação, que fazer esse acerto no Plenário da Câmara".

Provavelmente, Piau se refere à recomposição de Área de Preservação Permanente e a cultivo em áreas consolidadas. O texto da Câmara e o substitutivo do Senado dão entendimento diferente para os dois temas, sendo que do Senado exige a recomposição da área desmatada em topos de morros e beiras de rio. Os ruralistas querem manter o texto da Câmara, que não faz essa exigência, e o governo prefere que seja mantido o do Senado. A estratégia de Paulo Piau é de não nomear o tema polêmico. Sua tática é a do discurso genérico e da defesa do pequeno produtor.

Na quarta-feira, Piau se reuniu com cinco ministros para negociar as alterações do texto final.Os detalhes da proposta foram apresentados aos ministros das Relações Institucionais, do Meio Ambiente, da Agricultura, das Cidades e do Desenvolvimento Agrário. O governo defende a aprovação integral do texto do Senado, mas se dispõe a negociar os tais pontos graves apontados por Piau. 


Fonte: oeco.com.br



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (2)


Josemar Pires Dellaretti disse:

18/04/2012 às 14:24

Esse projeto de Código têm que ser abandonado. Questões de tal importância deveriam ser discutidas, estudadas por uma comissão nomeada pelo governo federal, e constituida por cientistas e técnicos versados, já que se trata de tema muito profundo e com consequencias gravíssimas para a perenização de muitas espécies, inclusive a nossa.
Há um grupo que quer aprovar uma lei que tornará inocentes, todos aqueles que cometaram faltas graves, que infringiram normas legais.
ISTO É INADMISSÍVEL.

PAULO JOSÉ disse:

17/04/2012 às 20:44

È O RETRATO DESTE PAÍS. PESSOAS COM TOTAL INTERESSE PESSOAL, DECIDE O RUMO DO PAÍS. O CÓDIGO EM DISCUSSÃO NÃO DEVE TROCADO COMO MERCADORIA DE FEIRA. HÁ MUITO O QUE EQULIBRAR, A OPINIÃO PÚBLICA PRECISA PONTUAR SUAS ALTERAÇÕES, AMBIENTALISTAS, SOCIEDADE ... DECIDIR O FUTURO É CONGREGAR.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


2108 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey