Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


08/08/2013

Cai volume de madeira ilegal em Rondônia

Queda no desmatamento no Estado foi de 45,3%

Foto: Google

A Sedam (Secretaria Estadual do Desenvolvimento Ambiental) apreendeu 14,1 mil metros cúbicos (m³) de árvores cortadas ilegalmente de janeiro a junho deste ano. O material representa  queda de 45,3% no desmatamento ilegal no Estado, frente ao mesmo período do ano passado, quando o órgão apreendeu 25,8 mil m³ de madeira. O Estado de Rondônia é formado por 34% por unidades de conservação

O motivo da redução, segundo o coordenador de proteção ambiental da Sedam, Lucindo Martins, é conscientização de pessoas que sobrevivem da extração de madeira. “O termômetro que mede o grau de fiscalização são os próprios madeireiros e a forma de explorar madeira. As pessoas estão explorando de maneira legal”, garantiu Martins.

O crime de desmatamento ilegal, segundo o coordenador, gera multa de R$ 1 mil a R$ 6 mil, conforme a área e localidade do desmatamento. “Se o desmatamento já ocorre, existe uma investigação. O fiscal vai até o campo, mede e faz uma carta imagem. Ainda verifica se a área desmatada faz parte da reserva legal da propriedade”.

Rondônia tem 788 madeireiras em operação legalmente, segundo a coordenadoria de proteção ambiental da Sedam. O número pode ser maior, já que a estatística desconsidera empresas instaladas em algumas cidades, como Guajará-Mirim, Nova Mamoré e Porto Velho.

A capital, aliás, fica entre os locais com maior índice de desmatamento ou apreensões de madeira cortada ilegalmente. A lista é completada pelos municípios Cujubim, Machadinho e Nova Mamoré, além a extensão da BR-429. A rodovia liga a BR-364 a cidade Costa Marques e o Conesul do Estado, onde, segundo Martins, há avanço da cultura da soja.


Fonte: Celulose Online



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (1)


ULSohNF3y30 disse:

28/09/2013 às 11:06

O Botswana proedbe a cae7a ao elefante com efioets a Janeiro de 2014! Se as florestas se3o vitais para o planeta, a proibie7e3o da comercializae7e3o internacional (entendida como sendo importae7e3o e exportae7e3o)de madeiras nativas ne3o seria mais eficaz para mitigar o efeito dos gases de estufa que o come9rcio internacional dos cre9ditos de carbono? da mesma forma que se condena o comercio de marfim, dos chifres de rinoceronte...PS. c9 por causa da China que ne3o acredito na existeancia (ainda) de matas em Gorongoza.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1099 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE   |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey