Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


09/04/2012

Arcelor vai investir na produtividade de florestas

Empresa aplicará R$ 10 mi neste ano.

A ArcelorMittal BioFlorestas, subsidiária do grupo ArcelorMittal, investirá aproximadamente R$ 10 milhões neste ano para melhorar a produtividade das florestas plantadas da companhia, que deverá crescer 5% em 2012. As informações são do diretor-geral da empresa, Maurício Bicalho de Melo, que participou ontem da assinatura do Protocolo de Sustentabilidade do Carvão Vegetal, na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília.

Ele explicou que os aportes serão destinados à aquisição de equipamentos que serão instalados nas florestas da companhia, além de manutenção e desenvolvimento. "Estamos melhorando o processo de carbonização", afirmou.

Entre os novos equipamentos, um novo sistema trocador de calor e de secagem da madeira, que viabilizará uma maior produtividade dos fornos da ArcelorMittal BioFlorestas.

Segundo ele, a produção no ano passado ficou em aproximadamente 1,5 milhão de metros cúbicos de carvão vegetal. O insumo é utilizado nos altos-fornos da ArcelorMittal em Juiz de Fora, na Zona da Mata, e em Cariacica (ES).

A produtividade das florestas da Arcelor está aumentando gradativamente em função dos investimentos. No ano passado, conforme o diretor, os aportes realizados pelo conglomerado siderúrgico ficaram nos mesmos patamares pretendidos para 2012.

As inversões em produtividade são parte de um plano de alcançar a capacidade instalada de 3 milhões de metros cúbicos/ano nos próximos anos. Os valores que serão investidos nem o cronograma foram revelados.

A ArcelorMittal BioFlorestas conta com quatro florestas plantadas. São três em Minas Gerais, instaladas em Dionísio, no Vale do Rio Doce, Martinho Campos (Centro-Oeste do Estado) e Carbonita, no Norte de Minas. Além disso, a empresa possui área em Teixeira de Freitas (BA).

De acordo com Bicalho, o setor encontra dificuldades para conseguir espaços para expandir as florestas plantadas. "As áreas estão cada vez mais escassas e mais caras", afirmou.

Além disso, ele explicou que, com a atual tecnologia utilizada no manejo de florestas, são necessários terrenos planos para realizar a silvicultura. As máquinas não operam em áreas montanhosas. Em função deste cenário, conforme Bicalho, a tendência do setor é investir na otimização do processo produtivo.

Energia- Além dos investimentos em produtividade, a ArcelorMittal BioFlorestas está desenvolvendo, em conjunto com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), um projeto para gerar energia elétrica durante o processo de produção do carvão vegetal.

Conforme o diretor da empresa, está sendo desenvolvido o protótipo, que deverá ter capacidade para gerar cem kilowatts. Para a pesquisa estão sendo investidos R$ 8 milhões, com recursos da estatal mineira.

A geração de energia durante a produção de carvão é viabilizada pela utilização dos gases gerados durante a carbonização da madeira, que giram as turbinas. "A turbina, que será importada, já foi adquirida", informou. O desenvolvimento do projeto deverá ser finalizado até o próximo ano.

Bicalho explicou que, após desenvolver o projeto, a Arcelor poderá investir na geração de energia elétrica através do processo de produção de carvão vegetal. "Somente a floresta em Martinho Campos tem capacidade de geração de 2 megawatts", disse. A capacidade é próxima da produzida por algumas pequenas centrais hidrelétricas (PCHs).

As inversões necessárias para a produção em maior escala ainda não foram definidas. Conforme ele, isto ocorrerá somente após o protótipo começar a operar no próximo ano


Fonte: Diário do Comércio



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

20/03/2019 às 13:17

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1778 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE   |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey