Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


04/04/2013

Modelagem de crescimento e produção de povoamentos de eucalipto empregando mínimos quadrados generalizados

Dissertação de Mestrado defendida no Departamento de Engenharia Florestal da UFV pela Engenheira Florestal Julianne de Castro Oliveira sobre modelos de crescimento e produção de eucalipto.

Fonte: Google
Existem diferentes tipos de modelos para predição ou projeção do crescimento e produção florestal e mais de um modelo pode se adaptar aos dados modelados. Nesse sentido o objetivo do trabalho foi avaliar a eficiência estatística e aplicabilidade da modelagem do crescimento e produção em nível de povoamento para plantios comerciais não desbastados de eucalipto (Eucalyptus sp.),localizados na região norte do Estado de Minas Gerais,por meio do método de mínimos quadrados generalizados. Inicialmente, testaram-se os modelos Logístico e de Gompertz para modelagem em altura dominante e três alternativas baseadas no modelo reduzido de Clutter, ambos pelo ajuste por mínimos quadrados ordinários. Não houve diferença significativa nas estimativas de produtividade na idade técnica de corte entre as três alternativas. Entretanto, foram comprovadas violações aos pressupostos estatísticos de homocedasticidade e independência dos resíduos, comprometendo, assim, a consistência estatística da modelagem. Posteriormente, foram comparados os ajustes por mínimos quadrados ordinários (MQO) com os ajustes por mínimos quadrados generalizados (MQG), mínimos quadrados generalizados considerando-se a heterocedasticidade (MQG_W) e mínimos quadrados generalizados considerando-se a heterocedasticidade e a autocorrelação residual (MQG_WC). A análise dos ajustes deu-se pela RQEM, bias%, no sinal e significância dos coeficientes, na distribuição gráfica dos resíduos ena verificação das idades técnicas de colheita (ITC) e das produtividades nas ITC. Os modelos reajustados por mínimos quadrados generalizados foram comparados pelo Critério de Informação de Akaike (AIC), Critério de Informação Bayesiano (BIC) e Teste de Razão da Máxima Verossimilhança (TRMV). Os baixos valores do AIC e BIC e elevado valor e significância do TRMV demonstraram a superioridade do modelo Logístico para altura dominante com ajuste por mínimos quadrados generalizados considerando-se a heterocedasticidade e a autocorrelação residual. Para as alternativas de modelagem do modelo de Clutter, demonstrou-se que a inconsistência no coeficiente α1 pelo MQO vincula-se também,à ocorrência de autocorrelação residual.A consideração do MQG_WC na distribuição de frequência dosresíduos nas classes de erro de ±10 % e ±20 % para as alternativas 1 e 2 foi substancialmente superior em relação ao MQO. Em relação ao bias%, RQEM, AIC, BIC e à significância do TRMV, as alternativas foram mais eficientes por meio da utilização do método MQG_WC. Não houve diferença significativa nas estimativas de produtividade na idade técnica de colheita. A ausência de diferença entre a prognose com os métodos de ajuste mostrou que a modelagem requerida até os dias atuais não deve resultar em viés por conta de pressupostos estatísticos, mas reafirma a relevância em se utilizar o método MQG_WC por ser mais eficiente estatisticamente.

Orientação e Banca
Orientador: Carlos Antônio Alvares Soares Ribeiro
Co-orientador: Hélio Garcia Leite
Membro da banca: Gilciano Saraiva Nogueira

Para acesso à dissertação completa, acessar o link:
http://www.tede.ufv.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=4312




Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (1)


9K4I6CxJ7aw disse:

28/09/2013 às 08:34

vinicius disse:massa!gostei muitomas acho que reiltay show serve pra nada, mas essa cam servre pro rerality da vida real,pq essa cameras de banco parecem ser bem toscas.adoro esse blog, meu!!!

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


3839 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey