Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


30/01/2013

Parcerias entre MDIC e prefeituras podem melhorar ambiente de negócios nas cidades

Conheça ações para desenvolver empreendedorismo

site: Google

Com medidas simples, prefeitos de todo o Brasil podem acelerar o crescimento e gerar empregos em suas cidades estimulando o empreendedorismo. A Secretaria de Comércio e Serviços, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, oferece apoio técnico aos prefeitos na adoção das melhores práticas, que serão tema de palestra nesta terça-feira (29), às 10h00, no Auditório Buriti, do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, como parte da programação do Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas.


Quem fala sobre as ações é o Coordenador-Geral de Articulação Institucional, Crédito e Fomento às MPEs da Secretaria de Comércio e Serviços, Fábio Santos. Uma delas é a abertura de empresas de baixo risco pelo Portal do Empreendedor em até 48 horas. Para isso, basta que o prefeito faça a adesão de seu município à Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócio (RedeSim) e firme parceria com a Junta Comercial do estado. É preciso ainda publicar a relação da Classificação Nacional de Atividades Econômicas de baixo risco. A parceria já rendeu frutos no Distrito Federal, onde a Junta Comercial é administrada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.


O processo da empresa “Qual Canal”, da área de informática, foi finalizado em menos de 24 horas, por meio do Portal do Empreendedor. O pedido de abertura foi protocolado às 11h37 do dia 14 de janeiro e, em oito horas úteis, a empresa já tinha Número de Identificação do Registro de Empresas (Nire), Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), Inscrição Estadual (IE) e alvará de funcionamento. O ministério busca parcerias com os prefeitos para que o prazo seja adotado em todas as cidades do país.


Outra ação de melhoria do ambiente de negócios é adoção, por parte dos municípios, da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas. A Lei foi criada para aumentar a competitividade dos pequenos negócios, por meio da redução da carga tributária, da simplificação e desburocratização de procedimentos fiscais, da criação de melhores condições para acesso ao mercado, à inovação e tecnologia, ao crédito e à justiça. Mas, para fazer pleno efeito, é preciso que os municípios regulamentem o texto. Os prefeitos podem utilizar a Lei Geral para atrair investimentos e criar empregos, simplificando os procedimentos burocráticos.


Outra ação ainda de incentivo à melhoria do ambiente de negócios e à formalização do trabalho é a criação do Empreendedor Individual (EI). O Empreendedor Individual é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. É papel importante dos municípios divulgar e estimular a formalização dos pequenos negócios por meio do Portal do Empreendedor.

 

Ganha o município e ganha o cidadão, que paga menos impostos, passa a ter direito aos benefícios da Previdência Social e pode prestar serviços para empresas e governos, inclusive para a Prefeitura. Quem se formaliza como EI paga uma contribuição para a Previdência Social de apenas 5% sobre o salário mínimo. Além desse valor, o empreendedor que aderir ao programa deve pagar apenas R$ 1,00 a título de ICMS ou R$ 5,00, de ISS.


Fonte: Assessoria de Comunicação Social do MDIC



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

20/01/2020 às 00:58

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1407 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey