Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


08/11/2012

Biorreatores de imersão temporária e enraizamento de Eucalyptus globulus

Dissertação de mestrado defendida no departamento de engenharia florestal da ufv pela engenheira florestal Anne Caroline Guieiro Correia, estudou a micropropagação em biorreatores de imersão temporária e enraizamento de miniestacas e microestacas de clones híbridos de Eucalyptus globulus.

Foto: Google
O presente trabalho teve como objetivos avaliar a micropropagação através do uso de biorreatores de imersão temporária RITA® nas fases de multiplicação e alongamento in vitro, bem como a miniestaquia e a microestaquia no enraizamento de clones Eucalyptus urophylla x E. globulus e Eucalyptus grandis x E. globulus.
Na fase de multiplicação e alongamento avaliou-se o cultivo em sistema líquido (biorreator RITA®) e semissólido (potes plásticos e tubos de ensaio), além das diferentes razões entre as fontes de nitrogênio (nitrato/amônio) no crescimento e produtividade dos explantes.
Foram verificados também a influência das técnicas de propagação (miniestaquia e microestaquia), diferentes substratos e tipos de estacas (apical com e sem redução foliar e intermediária) no enraizamento de quatro clones de Eucalyptus globulus.
Constatou-se que o biorreator de imersão temporária RITA® e os potes plásticos apresentaram os melhores resultados no crescimento dos explantes. Não houve diferença entre as razões de nitrogênio nitrato (NO3-) e amônio (NH4+) (1:1, 2:1 e 3:1) utilizadas na fase de multiplicação e alongamento, exceto para o clone C16, que, na fase de multiplicação, obteve maior crescimento e produtividade na razão 2:1(NO3-:(NH4+).
De forma geral, as culturas apresentaram alto grau de hiper-hidricidade, sendo esta desordem um fator limitante nas condições deste estudo para a micropropagação em biorreator de imersão temporária RITA®.
Não foi observada superioridade expressiva das microestacas em relação às miniestacas e houve efeito dos diferentes substratos apenas para algumas características. Constatou-se, de modo geral, superioridade das estacas apicais (sem redução e com redução foliar) em relação às intermediárias.
 
Orientação e Banca
            Professor Orientador: Aloísio Xavier.
            Professores Co-orientadores: Wagner Campos Otoni e Miranda Titon
            Banca: Antonio Marcos Rosado.
 
Para acesso à dissertação completa, acessar o link: http://www.ciflorestas.com.br/arquivos/d_t_t_5749.pdf




Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

10/08/2020 às 18:11

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


3982 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey