Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 16

Warning: max() [function.max]: Array must contain at least one element in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 53

Warning: min() [function.min]: Array must contain at least one element in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 55
CIFlorestas>>Notícia>>Benefícios ao negócio e à sociedade

Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


18/09/2012

Benefícios ao negócio e à sociedade

O ano de 2012 será marcado pelas discussões em torno da sustentabilidade.

Alexandre Di Ciero - Gerente Executivo de Sustentabilidade da Suzano Papel e Celulose
No âmbito internacional, teremos a realização da Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que marca os 20 anos da Eco-92. Em nível nacional, as discussões do Código Florestal, cercadas de embates políticos, mobilizam diversos setores da sociedade e da imprensa.

O setor florestal, em particular as empresas produtoras de celulose, vem participando do debate e buscando contribuir com diversas práticas, algumas iniciadas ainda na década de 1980, quando as discussões em torno do desenvolvimento sustentável não tinham alcançado a grande mídia. 

Naquela época, foram implantadas técnicas de silvicultura que visavam minimizar a intervenção no solo e intercalar o plantio florestal aos fragmentos de mata nativa. Isso foi feito em paralelo com outras práticas para aumentar a produtividade florestal, mostrando que é possível alinhar a preservação ambiental com a expansão do negócio.

Já na década de 1990, com o processo de internacionalização, os clientes passaram a demandar informações sobre cuidados ambientais e sociais que envolviam a operação. As certificações surgiram, então, como uma forma de aprimorar as práticas internas, alinhando-as a padrões internacionais e mostrando aos clientes a preocupação com a sustentabilidade presente na produção.

Em 1996, a Unidade Mucuri da Suzano, por exemplo, foi a primeira empresa do hemisfério sul a conquistar a certificação ISO 14001 de gestão ambiental. Em 2004, foi a vez do selo FSC (Forest Stewardship Council), que observa os padrões socioambientais ligados à operação. Hoje, essas certificações são fundamentais para acessarmos alguns mercados, principalmente na Europa.

Nos anos 2000, com o aquecimento global na pauta da mídia e da política, o setor passou a tratar do tema. Na Suzano, em 2007, demos início aos inventários de emissão de gases de efeito estufa (GEE) de nossas unidades, retroativos ao ano de 2003, e utilizando a metodologia GHG Protocol. Em 2009, por demanda de um cliente internacional, começamos a quantificação da pegada de carbono de alguns de nossos produtos.

Fomos a primeira indústria de celulose no mundo e a primeira empresa na América Latina a quantificar a pegada de carbono da celulose utilizando a metodologia PAS 2050 e obtendo a certificação Carbon Reduction Label, concedida pelo Carbon Trust. A pegada de carbono, por possuir uma abordagem de Análise de Ciclo de Vida (ACV), é a medida mais eficaz e precisa para mensurar as emissões de GEE de um produto e serve como uma importante ferramenta para o desenvolvimento de estratégias de redução desses gases ao longo da cadeia. 

Para garantir a imparcialidade da pegada de carbono dos nossos produtos, buscamos fundamentos e instituições que assegurassem os resultados. A ICF, consultoria internacional, realizou o levantamento e a quantificação dos gases, tendo como base a metodologia PAS 2050, que, à época, era a única mundialmente publicada.

A diferença básica entre a pegada de carbono de um produto e o inventário corporativo de emissões de uma empresa está nas fronteiras de cálculo que definem o escopo de cada uma das abordagens. Enquanto a pegada de carbono quantifica as emissões de GEE associadas a todas as etapas do ciclo de vida de um produto, o inventário quantifica as emissões de uma determinada etapa da cadeia de produção.

Ao submeter as pegadas de nossos produtos  à auditoria do CarbonTrust, que concedeu à Suzano a certificação Carbon Reduction Label, buscávamos mais do que um selo que atestasse a precisão dos cálculos, mas uma forma de evidenciar nosso compromisso com a redução das emissões. Isso porque o selo exige que, a cada dois anos, a empresa comprove que reduziu essas emissões. Foi o que fizemos no final de 2011, mostrando reduções nas pegadas, comprovadas durante o processo de verificação da CarbonTrust. 

Todas essas iniciativas exigem recursos financeiros e humanos para acontecer. Mas os resultados que conseguimos até aqui, principalmente junto aos clientes, mostram que vale a pena seguir por esse caminho. E, mais do que isso, valem a pena pelo resultado que trazem para a sociedade e para o meio ambiente, em nível local e mundial.


Fonte: http://www.revistaopinioes.com.br/cp/materia.php?id=830



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

22/05/2019 às 14:59

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1371 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey