Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


14/09/2012

Seminário sobre celulose e papel discute uso da lignina

O V Seminário sobre celulose e papel - Biorrefinaria da lignina: da biomassa ao produto.

Mesa de abertura do evento
V Seminário sobre celulose e papel – Biorrefinaria da lignina: da biomassa ao produto foi aberto nesta quinta-feira (14), em cerimônia realizada no auditório da Biblioteca Central, que contou, dentre outras participações, com a da reitora Nilda de Fátima Ferreira Soares. Na plateia, estavam alguns dos 170 brasileiros e estrangeiros inscritos que terão a oportunidade de assistir, até esta sexta-feira, 16 palestras “cuidadosamente selecionadas”, segundo o presidente do evento, professor Jorge Luiz Colodette. A primeira delas foi com o professor Oded Shoseyov, da Hebrew University of Jerusalem (Israel), que falou sobre Biotechnology approaches for improving wood quality in eucalyptus plantations.
De acordo com o professor Colodette, o tema do Seminário – que acontece a cada dois anos – foi escolhido em função do fato de a lignina ser um polímero (composto formado pela repetição de grande número de fragmentos iguais ou de poucos tipos) natural com grande potencial de uso. Ele explica que a lignina (um dos principais constituintes da madeira) proveniente da indústria de celulose e de processos de biorrefinaria tem sido utilizada basicamente para produzir energia. Porém, usos de maior valor agregado são vislumbrados no futuro, em função de ela ser um polímero rico em fenóis, substâncias atualmente produzidas na petroquímica. A proposta do seminário é discutir em profundidade a biogênese da lignina e chamar a atenção das comunidades científica e industrial da importância de se usá-la de maneira mais racional.
Para Colodette – e para todos que participaram da mesa de abertura do evento - debater o uso da lignina é de extrema importância, uma vez que ainda há pouco conhecimento sobre um produto que pode trazer inúmeros benefícios. Alguns dos estudos sobre este polímero vêm sendo desenvolvidos, desde a década de 1980, no Laboratório de Celulose e Papel da UFV. Durante muito tempo a lignina foi estudada ali associada à produção de polpa celulósica, onde ela é indesejável e precisa ser removida. Mais recentemente, de acordo com o professor Colodotte, o foco tem sido direcionado para processos de biorrefinaria, mas especialmente para a produção do etanol celulósico. Isso tem acontecido em parceria com a North Carolina State University, Cisic Espanhol, VTT Finlandez, CTP Frances e com empresas como Suzano Papel e Celulose e Novozymes. “A UFV tem desenvolvido importantes pesquisas nas áreas de biossíntese e aplicações da lignina”.
Para a reitora Nilda de Fátima Ferreira Soares, ver o auditório lotado mostra que a UFV está engajada em grandes discussões. Ela destacou o orgulho da Universidade de sediar um seminário que discute um tema tão importante em um momento que o mundo se preocupa com a sustentabilidade. Segundo ela, o Brasil precisa desse tipo de conhecimento debatido no seminário e essa discussão, em sua opinião, deve passar pela Universidade.
Além da reitora e do presidente do seminário, participaram da mesa de cerimônia, o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação em exercício, professor Ricardo Reis Cordeiro; o diretor do Centro de Ciências Agrárias, professor Sergio Hermínio Brommonschenkel; o chefe do Departamento de Engenharia Florestal e diretor administrativo da Sociedade de Investigações Florestais, professor Ismael Eleotério Pires, e o diretor de Projetos, Planejamento e Tecnologia Industrial das Indústrias Klabin, Francisco Razzolini.
A programação completa e informações sobre inscrições estão disponíveis no site do seminário.


Fonte: https://phpsistemas.cpd.ufv.br/ccs_noticias/scripts/exibeNoticia.php?&codNot=17263



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (2)


Saul Gonçalves disse:

16/10/2015 às 14:16

Muito bom,gostei!
Estou fazendo algumas experiencias na briquetagem de carvao vegetal,gostaria de saber se tem alguem usando lignina no processo e se os resultados sao positivos para briquetes de uso domestico.Ficarei muito grato por todas as informaçoes que puderem me fornecer,tambem posso compartilhar meus resultados.Grato,aguardo!

Nilton Lobo disse:

16/02/2014 às 01:08

Estou fazendo estudo para a implantação de uma unidade produtora de BRIQUETES em monte-mor SP,proximo a campinas, temos como matéria orgânica:esterco de galinha, aproximadamente 12 toneladas/dia, casca de coco,serragem de madeira,e bagaço de cana. Necessito de informações quanto a LIGNINA a ser incluída no processo! não tenho a mínima ideia de como seria a proporção destes constituintes! ao se acrescentar o bagaço de cana de açúcar ainda seria necessária a lignina ? como e esta substancia ?
aguardo informações caso seja possível, antecipadamente AGRADEÇO NILTON LOBO

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


4870 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey