Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


06/05/2009

Áreas Aptas Para Agropecuária na Amazônia Podem Chegar a 583 mil km²

A floresta amazônica já perdeu 17,3% de sua cobertura vegetal, ou seja, cerca de 725 mil km². Se fossem levadas em conta as exigências ambientais em vigor para o bioma, como a reserva legal e Unidades de Conservação, Terras Indígenas e Áreas de Preservação Permanente, ainda restariam um total de áreas potencialmente aptas por lei para agropecuária na Amazônia que varia de 550 a 583 mil km².

A floresta amazônica já perdeu 17,3% de sua cobertura vegetal, ou seja, cerca de 725 mil km². Se fossem levadas em conta as exigências ambientais em vigor para o bioma, como a reserva legal e Unidades de Conservação, Terras Indígenas e Áreas de Preservação Permanente, ainda restariam um total de áreas potencialmente aptas por lei para agropecuária na Amazônia que varia de 550 a 583 mil km². Os dados fazem parte de um levantamento preliminar realizado pelo Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam).

Denominado "O Alcance territorial da legislação ambiental e a consolidação do uso agropecuário de terras no Brasil', o documento foi elaborado considerando dados do programa Prodes do Instituto de Pesquisa Espacial (INPE) e de estudo do Centro de Pesquisa e Monitoramento por Satélite da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) apresentado na Câmara dos Deputados, em novembro de 2008.

Além da análise do bioma Amazônico, o documento também faz um levantamento de dados para os biomas Mata Atlântica, Cerrado, Pantanal, Caatinga e Pampa e conclui que "o potencial de área para agropecuária no Brasil varia entre 303 milhões de hectares a 366 milhões de hectares, ou seja, de 36 a 43% do território nacional".

No estudo, são também apresentados, propostas para reverter o quadro atual da questão agropecuária e consolidar uma coerente e sustentável. Dentre elas o aprimoramento do código florestal para Amazônia, separando-a dos demais biomas, pois, segundo o relatório "se tratam de desafios e realidades socioeconômicas e ambientais absolutamente distintas e condições de desenvolvimento totalmente assimétricas".


Fonte: amazonia.org.br



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

20/03/2019 às 13:21

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


2833 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE   |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey