Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


26/06/2012

Cultivo de madeira nobre precisa de planejamento e assessoria técnica

Plantar espécies como mogno, guanandi, jequitibá requer cuidados especiais mas retorno é praticamente garantido

A crescente demanda por madeira e conceitos como agricultura de baixo carbono ou economia verde têm motivado produtores rurais a investirem no reflorestamento comercial de espécies nobres.

Pouco a pouco, a área plantada no Brasil está crescendo e, com isso, aumentando também a busca por informações corretas e experiências de sucesso.

Não basta plantar e esperar o retorno, normalmente em longo prazo. O engenheiro florestal Alessandro Ribeiro, que estuda o desenvolvimento de árvores de madeira nobre há 12 anos, alerta para a necessidade de um planejamento criterioso e boa assessoria técnica.

"Cultivar madeira nobre é uma atividade absolutamente segura e altamente rentável, contudo é preciso tomar cuidados essenciais como, por exemplo, escolher a espécie certa para a região certa", orienta o engenheiro.

Segundo ele, dentre mais de 60 espécies avaliadas em experimentos no país, as que mais se destacaram já estão sendo plantadas comercialmente com excelentes resultados.

"As principais espécies são Teca, Guanandi, Mogno (Africano e Brasileiro) e Jequitibá Rosa", relaciona Eduardo Ciriello, engenheiro agrônomo da empresa Tropical Flora, com a experiência de quem já viajou pelo mundo conhecendo espécies florestais de madeira nobre.

Para o produtor rural, Ciriello recomenda: "Antes de comprar mudas e plantar, procure orientação técnica. Conduzir uma floresta com ciclo de dez a vinte anos pode revelar erros do presente apenas no futuro. É fundamental ter assessoria e reduzir, a quase zero, os riscos com esse tipo de investimento", explicou.

Além da madeira

O cultivo comercial de espécies florestais nobres pode proporcionar outros rendimentos além da madeira. “As sementes são os principais subprodutos mas, dependendo da espécie, é possível extrair óleo, essências, resina e até mesmo frutos”, explica Eduardo Ciriello.

Em um ciclo de 16 a 20 anos estão previstos também de dois a três desbastes. “Estamos estudando diversas aplicações para essa madeira”, ressalta Ciriello citando a América Central como exemplo.

Lá, a madeira de desbaste do guanandi é utilizada para construção de cabanas no estilo canadense. Em forma de roletes, a tora proporciona quase 80% de aproveitamento na serraria. “Dá para fazer caibros, cabo de ferramentas, ripas e até forros das costaneiras”, relaciona o engenheiro.

Pé de meia

O fundador da Tropical Flora, Pedro Ciriello, defende a cultura do “pé de meia”. Segundo ele é possível dobrar o investimento feito em madeira em nobre a cada 5 anos. “Para efeito de comparação, o mesmo dinheiro investido no mercado financeiro, precisaria de 20 a 30 anos para obter o mesmo resultado”, explica.

Os números foram estimados com base em taxas de juros vigentes e no preço do metro cúbico de madeiras como o mogno e chamam a atenção de quem está pensando em investir.

Evitando especulações Pedro Ciriello alerta, no entanto, que para alcançar os resultados esperados é preciso o acompanhamento de especialistas e assessoria técnica.


Fonte: portaldoagronegocio.com.br



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (1)


Anônimo disse:

28/08/2013 às 05:37

muito obrigado pelas informações

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


5983 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey