Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


07/06/2011

GCE Papéis produz papel reciclado a partir do bagaço de cana

O papel é produzido em escala industrial e busca ampliar o mercado dos recicláveis

Foto: Divulgação

Reaproveitar o insumo desperdiçado pelas indústrias sucroalcooleiras e produzir um papel reciclado utilizando um ciclo fechado que evita o desperdício de resíduos nocivos à natureza. Esta é a fórmula que a GCE Papéis encontrou para aliar sustentabilidade e ecologia na sua produção do papel Ecoquality® sulfite - um produto feito com o bagaço de cana de açúcar.

A ideia da empresa surgiu em meados de 1995, quando seus dirigentes compraram uma fábrica desativada na região de São Paulo. Segundo o diretor comercial da companhia, Luiz Machado, o objetivo era desenvolver a produção de fibra de celulose a partir do bagaço de cana para fabricar papel. “Nós buscamos levar ao mercado um tipo de papel reciclável diferente, oferecendo uma alternativa para o cliente, com um produto reciclável e ecologicamente correto”, relembra.

O papel Ecoquality® é totalmente reciclado e utiliza resíduos da indústria sucroalcooleira, já num todo, 2/3 desse bagaço é desperdiçado e não aproveitado pelo setor. “O destino deste insumo normalmente é descartável, sendo incinerado”, diz Machado.

O processo tem início com cerca de 300 mil toneladas de bagaço de cana. O insumo permanece em um período mínimo de 18 semanas descansando, o que facilita a ação microbiológica. Depois, o bagaço é bombeado junto à água para um sistema de batedores, para retirar as impurezas. Logo após, é levado a uma área de digestores, onde através de pressão e calor, inicia-se a fabricação da polpa.

Essa polpa é encaminhada para tanques de armazenamento através da despressurização. Lá há uma separação da fibra para conversão em celulose. Após lavada e branqueada, a celulose é encaminhada para a máquina de papel, onde é regulada a gramatura e umidade do papel. Por último, o papel é enrolado em bobinas de aproximadamente 20 toneladas e está pronto para ser comercializado.

“Com o detrito de cana, nós produzimos a celulose e com ela utilizamos para fabricação do papel reciclável. Com cada produção de papel, temos aparas, com elas também produzimos papel. A fórmula toda para a fabricação é um ciclo”, completa Luiz.

A empresa produz o papel Ecoquality® em escala industrial. São 42 mil toneladas mensal e 460 mil toneladas por ano. “A qualidade deste papel é igual ao normal, tendo a cor branca presente em cada folha”, destaca Machado. Atualmente, a empresa atende a um mercado corporativo e os clientes são empresas de grande porte, que buscam um papel com certificado ISO 14000. Esse perfil identifica as diretrizes da GCE Papéis para a gestão ambiental.

Segundo o executivo, o papel reciclado sempre foi marginalizado no Brasil, considerado produto de segunda e terceira linha e visto com um equívoco pelas pessoas. “Elas pensam que por ser reciclável é sinônimo de que é barato e ruim. O que não acontece. Precisa haver mais conscientização da população sobre este produto, sabendo diferenciar o artesanal do industrial”, conclui Machado.

Ação Social
Além de fabricar papéis recicláveis, a GCE mantém como ação de responsabilidade socioambiental, o compromisso com a ONG Trilhos do Jequitibá, que envolve doação de parte da arrecadação da venda do papel Ecoquality®. “Promover o crescimento profissional também é nosso foco. Buscamos através do conhecimento de novas técnicas de transformação de materiais recicláveis em obras de arte, fazer com que crianças e até adultos contribuam com o a preservação do meio ambiente. No final do ano passado, criamos também o projeto social “Qual é o seu papel”. Com ele, incentivamos a inclusão digital de crianças de rua”, afirma Luiz Machado.
 


Fonte: Victor Prates / CeluloseOnline



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (3)


Annelise Larangeira disse:

08/06/2011 às 18:53

Excelente o trabalho da GCE , além de um papel ecologicamente correto faz tb sua parte em auxilio as comunidades carentes com a inclusão digital

Carla Coda disse:

08/06/2011 às 14:37

Acho extremamente importante não somente a mudança no modelo mental da sociedade mas também ações pela sustentabilidade. Parabéns ao excelente trabalho da GCE.

sandro disse:

08/06/2011 às 13:31

Parabéns a GCE Papéis. Cuidar do meio ambiente e do Social é o que todos deveríamos fazer

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


3390 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey