Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


14/04/2011

Borracha atinge valor recorde

Crescimento do segmento automobilístico pressiona cotação.

Os preços da borracha atingiram alta recorde no mercado interno, onde seguem cotados a R$ 9,71 por quilo do granulado escuro, que é o principal produto do Brasil, usado na indústria de pneus. Os preços se situam em patamares 53% superiores aos registrados em igual período do ano passado.

A alta das cotações é explicada por uma série de fatores. Entre eles, destacam-se a redução da produção de látex na Tailândia, Indonésia e Malásia, devido ao aumento na taxa de renovação nos seringais destes países. "Além disso, ocrescimento industrial da China tem sido muito forte, o que aumentou a demanda mundial pelo produto", avalia Heiko Rossmann, diretor-secretário da Apabor -- Associação Paulista de Produtores e Beneficiadores de Borracha. 

De acordo com Rossmann, o aquecimento do mercado automobilístico brasileiro, o quarto maior do mundo, também ajudou a elevar as cotações, que começaram a subir no final do ano passado. "A tendência é de que os preços se mantenham em altos patamares durante este ano", estima o diretor. Isso porque as chuvas registradas na Tailândia -- maior produtor e exportador mundial -- desde o início do ano já estão afetando a oferta mundial. 

No Brasil o reflexo da alta das cotações pode ser verificado no campo. “Os produtores estão buscando expandir a área de cultivo", diz Rossmann. Os investimentos visam ampliar a produção nacional de borracha, que é menor que a demanda. Em 2010 o Brasil produziu 130 mil toneladas e consumiu 385 mil toneladas do produto. Parte da demanda nacional é suprida com compras na Tailândia e Malásia que custaram ao país US$ 790 milhões em 2010. 

Ainda assim, de acordo com cálculos do executivo, para fazer frente à demanda interna, estimada em 627 mil toneladas em 2020 seria necessário cultivar 250 mil hectares de seringueira neste ano. "Os investimentos necessários para implantar essa área seriam da ordem de R$ 2 bilhões, mesmo valor que deve gasto nas compras externas em 2020, caso o cultivo não cresça no país", diz o executivo que defende uma maior aceleração na expansão do plantio.

Hoje o Brasil tem 150 mil hectares cultivados com seringueiras, 57% da produção está concentrada em São Paulo, que conta com 4.300 produtores. Implantar a área de 250 mil hectares significa gerar 40 mil empregos no campo e criar uma demanda de 7 mil sangradores, pessoal que poderia ser absorvido do segmento sucroalcooleiro, que por conta da mecanização da colheita está dispensando pessoal.


Fonte: Globo Rural/ Luciana Franco



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (1)


Adiel Panassiol disse:

24/04/2011 às 07:37

Ótima expanssão da borracha.
E qual é o preço pago ao produtor no latex colhido la no campo, será que também teve alta que compença a espera da colheita...?

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


2416 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey