Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


11/11/2010

Parceria entre Embrapa e alemães vai estudar tecnologias sustentáveis

Uma parceria internacional entre a Embrapa e a Universidade Tecnológica de Dresden, na Alemanha, vai viabilizar o início de novos projetos de pesquisas relacionados a recursos hídricos, carbono, uso do solo e aproveitamento de resíduos e dejetos.

Os primeiros acertos dos temas e possíveis estudos nesse sentido foram feitos no evento “Brazilian-German Workshop – Innovative concepts assessing a low-carbon economy”, encerrado hoje (11) na Embrapa Cerrados – Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O encontro se insere no contexto do Ano Brasil-Alemanha de Ciência, Tecnologia e Inovação, celebrado em 2010/11.

Desde a segunda-feira (8), o evento reuniu pesquisadores e especialistas das duas entidades, além de outros atores, para a discussão de conceitos e métodos inovadores de avaliação da economia de baixo carbono para o uso sustentável do solo e da água no bioma Cerrado. Durante as apresentações dos pesquisadores brasileiros, os trabalhos desenvolvidos pela Embrapa Cerrados que otimizam o uso do solo e preservam os recursos naturais despertaram o interesse da missão alemã. “Creio que essas pesquisas são prioritárias para o mundo. São muito interessantes para compararmos com nossas experiências”, ressalta Franz Makeschin, chefe do Departamento Ciência e Proteção do Solo da universidade alemã.

Os temas em estudo no Brasil e na Alemanha, de acordo com Makeschin, contribuem para o aumento do conhecimento em relação às mudanças climáticas. Makeschin destaca, principalmente, as pesquisas relacionadas ao uso diversificado do solo e eficiência na utilização dos recursos naturais, entre eles, água, nutrientes e energia. Para os pesquisadores brasileiros, conhecer o trabalho dos colegas alemães nesses temas foi muito produtivo. “Durante as apresentações foi possível verificar temas de interesse comum entre pesquisadores dos dois países, às vezes tratados com diferentes abordagens, o que pode enriquecer e fortalecer a troca de experiências entre as partes”, afirma Jorge Werneck Lima, pesquisador da Embrapa Cerrados.

Os estudos a serem iniciados pela parceria entre brasileiros e alemães se inserem num acordo assinado entre a Universidade e a Embrapa em setembro. O documento prevê a aprovação e execução de projetos de cooperação técnica durante cinco anos.

Visitas em campo


Parte da programação do workshop foi realizada no campo. Na quarta-feira (10), os pesquisadores alemães estiveram na fazenda Primavera, propriedade localizada no Distrito Federal e que possui cerca de cinco mil hectares de área plantada, atualmente com soja e milho. O pesquisador da Embrapa Cerrados Charles Martins apresentou os estudos entomológicos da Embrapa Cerrados implementados no local. 

Na mesma ocasião, a pesquisadora da Embrapa Cerrados Marina de Fátima Vilela abordou os projetos de agricultura de precisão realizados em parceira com a fazenda.

Na parte da tarde, os visitantes conheceram a Estação Ecológica de Águas Emendadas. O pesquisador Jorge Werneck Lima fez uma breve apresentação sobre o local e ressaltou a relevância hidrológica do bioma Cerrado para todo o país. “A água que nasce aqui atravessa todo o continente”, afirmou.

Hoje (11), os pesquisadores alemães conheceram os  experimentos na Embrapa Cerrados de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) e de café e dendê irrigados - atividades que encerraram a programação do workshop. Entre os eucaliptos, os visitantes assistiram palestras dos pesquisadores da Unidade Robélio Marchão, Roberto Guimarães Júnior e Karina Pulrolnik. Marchão apresentou o cenário – de demanda por comida, aumento no preço de fertilizante e decréscimo de disponibilidade de terra para agricultura - em que a ILPF se torna uma alternativa de sistema de produção eficiente.

O desempenho da produção animal no sistema ILPF foi relatado pelo pesquisador Roberto Guimarães Júnior. A importância do componente florestal no sistema foi destacada pela pesquisadora Karina Pulrolnik. 

Entre as razões para incluir as árvores no sistema, a pesquisadora ressalta ser alternativa viável para aumento da biodiversidade e para mitigação dos gases de efeito estufa.

Já no experimento de café, o pesquisador Antônio Fernando Guerra explicou o desenvolvimento da tecnologia do estresse hídrico para o manejo de irrigação do cafeeiro. Na área de estudo do dendê, o pesquisador Jorge Antonini falou sobre a potencialidade da cultura como alternativa para a produção de biodiesel.


Fonte: Embrapa Cerrados



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

25/01/2020 às 02:09

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1753 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey