Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


18/10/2010

Tecnologia para substituir queima é apresentada pela Embrapa Rondônia

Alternativa ao uso da queima no preparo de áreas para cultivo, a tecnologia de trituração de capoeira foi tema de evento que vai que reuniu pesquisadores, técnicos extensionistas e estudantes quarta-feira (11), na Embrapa Rondônia, em Porto Velho. Foram apresentados resultados dos últimos três anos de pesquisa e feita demonstração de um equipamento para trituração de capoeiras. Além da visível poluição do ar pela fumaça, as queimadas liberam na atmosfera gases de efeito estufa e comprometem propriedades químicas, físicas e biológicas do solo, principalmente quando sucessivas em uma mesma área.

A tecnologia de trituração da capoeira é estudada por pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em diferentes estados da Amazônia. As atividades tiveram início em 1991, com um programa de cooperação científica entre Brasil e Alemanha.

A parceria resultou no desenvolvimento de um implemento para ser utilizado em um trator, que corta e tritura a vegetação. Idealizada pelo Instituto de Engenharia Agrícola da Universidade de Göttingen, na Alemanha, a tecnologia foi testada pela primeira vez em experimentos no Brasil em 1997, no município paraense de Igarapé Açu.

De lá para cá, surgiram no mercado diferentes implementos com essa finalidade. Na quarta-feira, no Campo Experimental de Porto Velho, área da Embrapa Rondônia, será feita a demonstração de um equipamento desenvolvido em Santa Catarina.

Benefícios ambientais

De acordo com os pesquisadores, os principais benefícios da tecnologia são ambientais. Estudos mostram que 75% das emissões brasileiras de gases considerados como contribuintes para mudanças climáticas são associadas ao uso do solo, queimadas e desmatamento, principalmente na Amazônia.

De baixo custo, a queimada é utilizada sistematicamente por agricultores e pecuaristas, seja para preparar uma área de cultivo ou para formar e recuperar pastagens. Em um primeiro momento, o incremento de fertilidade do solo por conta das cinzas favorece as culturas, mas a prática se mostra insustentável a longo prazo. O solo tende a perder fertilidade nos anos seguintes e a superfície exposta fica mais vulnerável a efeitos da chuva, como lixiviação e erosão. O processo favorece também a compactação do solo, o que compromete a penetração das raízes.

Experimento realizado pela Embrapa Rondônia no município de Nova União, entre os anos de 2005 e 2007, comparou sistemas de cultivo com uso de queima e com trituração de capoeira. Os dados colhidos mostram que o solo em que foi utilizada a queima apresentou, em todas as camadas avaliadas, maior resistência à penetração que o solo em que foi utilizada trituração.

Autores do trabalho, os pesquisadores Alaerto Luiz Marcolan e Marília Locatelli, da Embrapa Rondônia, explicam que outro aspectos positivos da tecnologia de trituração são a adição de matéria orgânica e a maior capacidade de manutenção de umidade no solo. “A queima libera todos os nutrientes de uma só vez, apresentando vantagem na fertilidade do solo apenas no primeiro ano. Com a trituração, a liberação de nutrientes é gradativa”, explica o engenheiro agrônomo Alaerto Marcolan.

Novos experimentos serão realizados nos próximos três anos em cinco propriedades no município de Porto Velho. Além da Embrapa Rondônia, participam do projeto “Manejo da capoeira na agricultura da Amazônia sem o uso do fogo” a Embrapa Amazônia Oriental, que coordena os trabalhos, Embrapa Acre, Embrapa Amapá, Embrapa Amazônia Ocidental e Embrapa Meio Norte.


Fonte: Embrapa Rondônia



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (1)


Magno Köhnlein disse:

12/12/2010 às 12:04

Idéia Louvável!!
Barabens pela nova tecnologia em estudo em nossa região, RO, AC. AM. RR.
Incentivo a continuidade das pesquisas, que resolverão de varias formas, problemas ambientais e de fertilidade.

Tambem estou a disposição para auxiliar no desenvolvimento e adaptação mecanica, dos esquipamentos para teste e produção.
Se achar por bem, entre em contato.

Sds. Magno

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


3829 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey