Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


06/07/2010

Orsa Quer Ampliar Área de Produção no Amapá

O eucalipto é fonte de divisas também em cidades amazônicas, como Laranjal do Jari, divisa do Pará com o Amapá, onde o Grupo Orsa amplia a escala da produção.

"Estamos reformando e mudando área de plantios florestais para melhorar a produtividade das árvores e até 2013 dobrar a capacidade da fábrica de celulose", anuncia Sérgio Amoroso, presidente da empresa, proprietária de 1,3 milhão de hectares na localidade. Desse total, 120 mil hectares estão reservados para eucalipto - metade dos quais já ocupados. Na floresta nativa, correspondente a 1,1 milhão de hectares, foram produzidos no ano passado 40 mil metros cúbicos de madeira.

As operações na região do Jari representam a um terço do faturamento total da empresa - R$ 1,3 bilhão, em 2009. "O plano é expandir as atividades no Amapá até 2011, atingindo área total de manejo sustentável certificado com 800 mil hectares", informa Amoroso. Hoje, a exploração com selo socioambiental abrange 545 mil hectares da Orsa Florestal, apenas no Pará. "Sem a atividade, a região implodiria", afirma o executivo, enfatizando a dependência econômica das cidades em relação à produção florestal.

A fábrica de celulose e os plantios atraíram 4 mil trabalhadores. "Aumentou a migração e a pressão do crescimento urbano desordenado", admite Amoroso. Favelas de palafitas se espalharam na beira dos rios, em Laranjal do Jari, tradicional reduto de garimpeiros. A população passou a conviver com drogas e prostituição. "Nos locais mais afastados da Amazônia, o poder público está ausente", diz Amoroso, ao lembrar os investimentos que a empresa precisou fazer na área social quando assumiu os plantios da região, em 2000.

Com a maior arrecadação de impostos em função da produção florestal e da expansão do setor de serviços, o município investiu na construção de casas populares em novos bairros para abrigar a população ribeirinha. Recursos da empresa financiam projetos de geração de renda, como microcrédito para cooperativas de costureiras e artesãs que fazem joias com sementes amazônicas, exportando para os Estados Unidos.

Na cidade vizinha, Almeirim (PA), que recebe da Orsa Florestal R$ 5 milhões por ano de ISS, o hospital foi erguido pela empresa. "Mas a falta de transparência na gestão municipal dificulta novas ações", afirma Amoroso. Apesar das dificuldades locais, o plano, segundo ele, é avançar nos investimentos para melhorar o rendimento da exploração florestal, aumentar valor agregado e fixar posição no mercado internacional. Com a substituição de óleo combustível por biomassa nas caldeiras, a empresa pretende avançar na meta, para 2012, de reduzir em 30% as atuais emissões de carbono da Jari Celulose, Papel e Embalagens, que pertence ao Grupo Orsa.

A empresa concluiu recentemente o inventário de gases do efeito-estufa dentro da metodologia GHG Protocol, que segue padrões internacionais da ONU, além de outras referências, como as normas da série ISO 14064. O estudo identificou um estoque de carbono que soma 688 milhões de toneladas nas florestas da empresa na região do Jari. Desse total, 99% estão em matas nativas. "Aguardamos o amadurecimento do debate sobre os mecanismos internacionais de crédito de carbono, para entrar no negócio", diz Amoroso.


Fonte: Valor Econômico



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

18/03/2019 às 17:31

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


2745 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE   |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey