Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


26/05/2010

Bilionário Mira Negócios no Brasil

Um dos maiores investidores globais do mercado imobiliário, o bilionário americano Sam Zell, dono da Equity International, pretende aproveitar o bom momento que vive o Brasil para colocar em prática duas estratégias distintas.

Um dos maiores investidores globais do mercado imobiliário, o bilionário americano Sam Zell, dono da Equity International, pretende aproveitar o bom momento que vive o Brasil para colocar em prática duas estratégias distintas. Ao mesmo tempo em que vai vender ativos no país para entregar retorno aos primeiros fundos que investiram aqui, está disposto a diversificar e experimentar setores completamente novos. Em entrevista ao Valor, Thomas McDonald, diretor de estratégia da Equity International (EI) diz que está avaliando o mercado de celulose.

Se entrar no setor de plantio de árvores, vai engrossar o coro dos "forasteiros" que viram na matéria-prima para fabricação de papel um mercado bastante promissor - caso da J&F, que controla a JBS Friboi, maior indústria de carnes do mundo. "É um setor contra-cíclico nos momentos de inflação e as condições do plantio são extremamente favoráveis no Brasil", afirma McDonald, demonstrando familiaridade com o assunto.

No Brasil, a combinação entre clima favorável e avançada pesquisa em biotecnologia permite que o eucalipto seja cortado em sete anos. Já no hemisfério norte, o corte das árvores acontece em vinte anos ou mais. Somente neste ano, foram anunciados seis reajustes de preços e a celulose, na Europa - considerado referência por ser o maior mercado consumidor -, está cotada a US$ 920 por tonelada, perto do pico histórico.

Seria um mercado inédito para Sam Zell, que fez fortuna com a compra de ativos imobiliários desvalorizados no início dos anos 90 e fama com investimentos certeiros e lucrativos, como a mexicana Homex, empresa mexicana especializada na construção de imóveis populares. Na outra investida que fez fora do ramo imobiliário - a polêmica compra da empresa de jornais "Tribune" por US$ 8,2 bilhões em 2007 - não ganhou do mercado o mesmo reconhecimento das tacadas certeiras do portfólio de imóveis.

Com mais de US$ 1,5 bilhão sob administração, a Equity International tem 50% dos seus negócios no Brasil. A outra metade está dividida entre China, Egito, Inglaterra, Austrália e Nova Zelândia. Criada em 1999, a companhia investe através de fundos de participação. Já constituiu quatro deles - o primeiro foi concluído em 2008 e os demais estão em andamento. Está em fase de captação de um novo fundo, mas não fala no assunto. Segundo a Bloomberg publicou na semana passada, pretende investir cerca de US$ 500 milhões no Brasil, cerca de três quartos do que deve levantar. Thomas McDonald limita-se a dizer que deve manter a proporção atual - de 50% dos investimentos no Brasil.

Com atuação bastante ativa na gestão das companhias nas quais têm participação, no Brasil, a Equity International tem investimentos na Gafisa, BR Malls, Bracor, AGV Logística e, o último - realizado este ano - Brazilian Finance & Real Estate (BFRE). Essas participações colocam a empresa em praticamente todos os segmentos do mercado imobiliário: residencial, grandes imóveis para aluguel, centros de distribuição, logística, produtos financeiros e securitização. O que resta, então, para investir no setor imobiliário e não gere conflito com o portfólio atual? "Estamos olhando novos formatos de negócios, como os centros de conveniência, com vários tipos de serviços", afirma o diretor da Equity International. "Os bons fundamentos da economia brasileira e o crescimento da classe média fazem do varejo um setor muito atrativo", completa.
 


Fonte: Valor Econômico. Adaptado por Celulose Online



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

24/01/2020 às 07:51

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1742 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey