Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


11/02/2010

Silviculture-se

Neste início de 2010, novos cenários podem ser vislumbrados para a silvicultura brasileira nos próximos anos.

Neste início de 2010, novos cenários podem ser vislumbrados para a silvicultura brasileira nos próximos anos. Sinalizar com precisão matemática é quase impossível, mas tendências que repetem histórias do passado permitem algumas conclusões: i) parte significativa da expansão da silvicultura se dará por conta da agressiva participação das Timos: esse interesse de investidores externos deverá provocar a curiosidade e o interesse de investidores brasileiros: portanto, a expansão vai se dar com gente nova e com novos valores. Dificilmente escaparemos das discussões sobre custos e produtividade. Problemas de sempre, mas aferidos com instrumentos tecnológicos, sem paixão, de muita precisão e nível de tolerância quase zero; ii) vão aumentar as dificuldades para programas de fomento em algumas regiões, principalmente naquelas em que as empresas que fomentavam deixaram seus parceiros por conta do departamento jurídico: um verdadeiro tiro no pé que terá alto custo para uma inevitável aproximação; iii) o buraco gerado pela crise não foi coberto e ,com certeza, vai faltar madeira e o preço, a médio prazo, deverá subir bem acima das conservadoras previsões anteriores: esse quadro vai se tornando cada vez mais grave, quanto mais demorar a reação pós-crise; iv) a silvicultura nas novas fronteiras vai reviver problemas antigos e solucionados nas regiões tradicionais: nem sempre a receita conhecida dará resultado e atenção especial será demandada para a seleção de material genético, nutrição, espaçamentos, etc. Vai valer muito a experiência do silvicultor de nariz queimado e de bota suja de barro: mosca branca nessas condições em que se exigem soluções para ontem; vi) os problemas burocráticos oriundos da complexa legislação dos estados, nas novas fronteiras, deverão ser agravados pelo aumento da demanda e falta de estrutura dos órgãos estaduais . A novidade deverá gerar muitas oportunidades, mas cuidado especial deverá ser tomado com os oportunistas. 

Para mais informações clique aqui.


Fonte: Nelson B. Leite, em www.painelflorestal.com.br.



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

17/07/2019 às 20:43

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


3332 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey