Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


26/11/2009

Instituto Defende Uso Agrícola de Algumas Áreas de Proteção Permanente

A comissão especial da Câmara que analisa o Código Florestal Brasileiro fez audiência pública hoje (26) para ouvir sugestões de especialistas sobre o projeto. Em comum, uma mesma ideia: é possível falar em preservação e em uso agrícola das áreas.

Área de Preservação Permanente

A comissão especial da Câmara que analisa o Código Florestal Brasileiro fez audiência pública hoje (26) para ouvir sugestões de especialistas sobre o projeto. Em comum, uma mesma ideia: é possível falar em preservação e em uso agrícola das áreas.

O coordenador adjunto do Programa de Direito e Política Socioambiental do Instituto Socioambiental (ISA), Raul do Valle, disse que é preciso permitir o uso agrícola em determinados tipos de áreas de preservação permanente (APPs), como em determinadas encostas e em topos de morro, em troca de recuperação da reserva legal.

“As políticas públicas têm de criar prêmios e incentivos a quem conserva. Grande parte das organizações socioambientais tem muita consciência disso”, disse. “Trabalhar apenas no controle e na punição não vai resolver em lugares que tem grande parte dos imóveis rurais na ilegalidade. Porque não trabalhar o crédito rural como indutor de recuperação?”, questionou.

O representante da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), Luiz Henrique Gomes de Moura, as políticas públicas atualmente são voltadas apenas ao combate à devastação. “Do lado de cá, tem os agricultores familiares camponeses, que não têm crédito, não têm fomento. E do lado de lá, tem o órgão de meio ambiente repressivo que nunca trabalhou com pequena agricultura, mas com grandes fábricas, grandes usinas.”

Para ele, é preciso o fomento à implementação e melhoramento de sistemas produtivos agrosilvopastoris e recursos para a implementação de projetos de recuperação de áreas.

A comissão especial que analisa o Código Florestal Brasileiro está na fase de audiências públicas e deve ouvir especialistas sobre o assunto antes de o relator, deputado Aldo Rebelo (PcdoB-SP), emitir o parecer.


Fonte: Agência Brasil



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

20/10/2019 às 10:59

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1636 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey