Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


22/10/2009

Madeireiras com Plano de Manejo Comercializam Madeira Ilegal no AM

Madeireira de nome Indústria Comércio de Madeira Realidade Ltda, que teve suspensa a sua licença de operação no Amazonas, depois de publicação no Diário Oficial do Estado (DOE) de hoje, pode compor uma rede de madeireiras e detentores de planos de manejo que comercializam madeira ilegal. Com atuação em municípios do Sul do Amazonas, na região conhecida como Arco do Fogo, a madeireira foi denunciada na semana passada em publicação, de nível nacional, por vender madeiras ilegais para o Estado de Minas Gerais.

Madeireira de nome Indústria Comércio de Madeira Realidade Ltda, que teve suspensa a sua licença de operação no Amazonas, depois de publicação no Diário Oficial do Estado (DOE) de hoje, pode compor uma rede de madeireiras e detentores de planos de manejo que comercializam madeira ilegal. Com atuação em municípios do Sul do Amazonas, na região conhecida como Arco do Fogo, a madeireira foi denunciada na semana passada em publicação, de nível nacional, por vender madeiras ilegais para o Estado de Minas Gerais.

A suspeita sobre a rede, segundo a secretária de Estado de Desenvolvimento Sustentável (SDS), Nádia Ferreira, partiu de investigação da força de inteligência formada por 24 instituições, entre elas a Polícia Federal, o Ministério Público e a Vara do Meio Ambiente. De acordo com Nádia, possivelmente o proprietário da empresa, de nome Marcos Luís Castaman, não passa de um “laranja” que compõe essa rede. A Polícia Federal já está cuidando do caso.

Nádia Ferreira disse, ainda, que possivelmente detentores de planos de manejos estão sendo levados a “esquentar” madeira de outras localidades e até mesmo de outros Estados. “O trabalho da inteligência é essencial, porque não adianta ir lá apenas lacrar a empresa. Queremos descobrir a rede. Queremos descobrir quem são esses infratores. Lacrar é fácil, mas queremos mesmo é chegar ao tubarão que está por detrás disso”, disse a titular da SDS.

Segundo Nádia Ferreira, a licença de operação da madeireira foi suspensa depois de a empresa ter multas a pagar no valor de R$ 465.383,80, que é o total de cinco multas aplicadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama) e do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), desde 2008, por falta de Documento de Origem Florestal (DOF) para armazenagem e comercialização de pelo menos 1.637,88 metros cúbicos de madeira sem origem.

As multas à empresa foram aplicadas também por realizar 31 conversões irregulares de madeira no sistema de DOF, e ainda por comercializar e manter em estoque 85.4220 metros cúbicos de madeira em desacordo com licença expedida pelo Ipaam. A madeireira recebeu a primeira licença de instalação e operação em 2005. A última foi em janeiro de 2008, com validade até abril de 2010, que teve a suspensão oficializada hoje.

Nádia Ferreira, que também preside o Conselho Estadual de Meio Ambiente, disse que 21 processos de multa estão sendo avaliados e poderão ser validados. Segundo ela, as que têm relação com madeireiras são de maior proporção no quadro de infrações.


Fonte: REMADE



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (1)


jose maximo da silva disse:

25/11/2015 às 11:21

olá amigos eu sou laminador há 35 anos no ramo só que agora estou parado (sem serviço), gostaria de saber se os amigos precisam de um ai ou alguem que precise pois estou precisando trabalhar. meu cel. (66)81009542 ou Email obrigado.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


8487 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey