Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


21/10/2009

Região de Marabá (PA) Tenta Recuperar População de Castanheiras

Iniciativa da Secretaria de Agricultura (Sagri) do Pará pretende repovoar a região de Marabá, no sudeste do estado, com a castanheira, árvore ameaçada de extinção e de corte proibido, para reavivar um setor econômico que já tem cerca de 150 anos de história na região.

Semente da castanheira. (Foto: Deathworm/Creative Commons)

Iniciativa da Secretaria de Agricultura (Sagri) do Pará pretende repovoar a região de Marabá, no sudeste do estado, com a castanheira, árvore ameaçada de extinção e de corte proibido, para reavivar um setor econômico que já tem cerca de 150 anos de história na região.

Considerada a “rainha” da floresta por chegar a ter até 60 metros de altura, a castanheira já foi a base da economia extrativista da área, segundo explica o gerente Domingos Roberto. “Nos anos 70 o Amazônia chegou a exportar 70 mil toneladas de castanhas ao ano, e Marabá e os municípios vizinhos eram os maiores contribuintes. Hoje são pouco mais de 20 mil toneladas/ano”, afirma.

A secretaria retomou a produção de mudas, paralisada há seis anos, e organizou uma oficina com 45 agricultores e técnicos para ensinar como plantar a castanheira. A castanha-do Brasil provém dessa árvore. Suas sementes caem no chão e são recolhidas para serem secas e descascadas.

Um dos problemas para a população remanescente de castanheiras em Marabá é justamente a pressão do extrativismo já que, segundo Roberto, cerca de 90% das castanhas que caem ao solo são recolhidas, o que diminui a chance de que nasçam novas árvores.

As castanheiras sofreram muito com a expansão da pecuária no sudeste paraense a partir dos anos 80, quando o desmatamento avançou de forma sem precedentes. Além disso, sua madeira é cobiçada – o que fez com que seu corte fosse proibido pelo governo.

 

O gerente regional da Sagri em Marabá aponta que o cultivo da castanheira não é fácil. Devido a problemas de má-formação genética, no máximo 50% das sementes plantadas germinam. Além disso, é necessário descascar as sementes sem feri-las e banhá-las com fungicida para impedir que apodreçam. “Também tem que livrar de insetos e roedores. São muitos inimigos naturais”, acrescenta Domingos Roberto.
.
A primeira leva de mudas de castanheira que está sendo produzida pela Sagri deve ter cerca de 10 mil unidades. “É muito pouco diante da necessidade. Há 20 anos já chegamos a produzir cem mil”, aponta o gerente. Sua expectativa é que, com estímulo e treinamento, agricultores pequenos e médios comecem a produzir mudas e replantar por contra própria.

 


Fonte: Globo Amazônia



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

29/09/2020 às 10:27

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


4477 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey