Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


15/10/2009

Ruralista Preside Comissão que Revisará Código Florestal

A Comissão Especial do Código Florestal Brasileiro elegeu nesta quarta-feira seu comando. A presidência ficou a cargo do deputado Moacir Micheletto (PMDB-PR) que, por sua vez, indicou o deputado Aldo Rebelo para a relatoria. A comissão tem 45 dias para votar o relatório.

Moacir Micheletto

Após semanas de discussões e bate-bocas entre parlamentares, o deputado Moacir Micheletto (PMDB-PR) foi eleito ontem (14) presidente da comissão especial criada na Câmara dos Deputados para analisar mudanças no Código Florestal. A comissão vai se debruçar sobre pelo menos seis projetos de lei, entre eles a polêmica proposta de um novo Código Ambiental, com regras mais flexíveis e menos controle da União sobre a legislação.

Ruralista, Micheletto vai dividir o comando do colegiado com os deputados Ancelmo de Jesus (PT-RO), Homero Pereira (PR-MT) e Nilson Pinto (PSDB-PA), eleitos vice-presidentes. O relator será Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

Micheletto é identificado em seu site como "A voz da agricultura", já Pereira e Rebelo receberam  em junho deste ano o prêmio “Inimigo da Amazônia”, concedido pelo Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento.

A eleição foi adiada pelo menos duas vezes por divergências entre parlamentares ruralistas e ambientalistas. A escolha de  ontem foi viabilizada por uma coligação entre PR, DEM, PTB, PT, PSB e PSDB.

A eleição dos membros da direção da comissão sofreu resistência do PSol e do PV, que conseguiram adiar a escolha por três reuniões. Porém, diante de acordo incluindo o PT, os ruralistas conseguiram aprovar a chapa de sua indicação.

Ao assumir a presidência da comissão, Micheletto enfatizou que a votação da proposta ocorrerá no plenário. "O novo código florestal não vai ficar em desequilíbrio entre ruralistas e ambientalistas, porque quem vai definir se aprova ou não é o plenário", destacou.

O mesmo argumento foi apontado pelo segundo vice-presidente, deputado Homero Pereira (PR-MT). Ele acrescentou que está a disposição de todos os setores da sociedade para discutir o tema e que o Brasil não precisa se sentir culpado por realizar as mudanças. "Queremos dar segurança jurídica aos que produzem", destacou.

Também presidente da Frente Parlamentar da Agricultura Familiar, o primeiro vice-presidente da comissão, deputado Ancelmo de Jesus (PT-RO), defendeu as alterações no Código Florestal Brasileiro. "Todos os códigos dos anos 60 foram mudados. É preciso adequar também este código à lógica da produção e da preservação. Não basta ter código se não buscarmos a organização jurídica da propriedade", afirmou.

Repercussão internacional

Porém, o deputado Ivan Valente (PSol-SP) frisou que a maioria ruralista na direção da comissão culminará em um projeto que aumenta o desmatamento, em um "código ambiental ruralista". "Temos uma mesa em que o setor ruralista tem total hegemonia e maioria", declarou.

O deputado Edson Duarte (PV-SP) também cirticou a iniciativa de mudar as regras atuais para adequar propriedades em desacordo com ela e acrescentou que os debates da comissão terão impacto negativo no cenário mundial. "Corremos o risco de, às vesperas de Copenhague, provocar um constrangimento diplomático", disse. O deputado se referiu à 15ª Conferência das Partes da Convenção do Clima (COP 15), em Copenhague, na Dinamarca.

O deputado Luis Carlos Heinze (PP-RS) reagiu à preocupação com a repercussão internacional das mudanças em análise. Para ele, enquanto países como os Estados Unidos requerem regras mais rígidas para a preservação do meio ambiente, eles mesmos não cumprem os acordos internacionais. "Nós que somos trouxas em insistirmos nessas regras", declarou. "Não será um código ruralistas e não pode ser entreguista", concluiu sobre a proposta em debate.

Relatoria

Relator da comissão, o deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) encerrou a reunião da comissão, afirmando que assume a função com uma responsabilidade que não procurou. "Não reivindiquei esse desafio, mas o exerço com o mais elevado espírito público", declarou.

O parlamentar pontuou que o Brasil tem preservado mais que os países chamados desenvolvidos e, portanto, deve decidir como manter esta preservação. "Essas sociedades, pretensas civilizadas, é que tentam nos dar as lições. Mas as principais lições estão no Brasil, porque somos nós que preservamos", disse.

"Pretendo conduzir o debate com maturidade e equilíbrio entre valorização ambiental, da natureza e da agricultura", completou.


Fonte: Agência Brasil e Portal da Madeira Total



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

11/08/2020 às 09:49

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1647 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey