Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


06/07/2015

Qualidade da madeira de árvores de clone de eucalipto inclinadas por ação de ventos para produção de celulose

Dissertação apresentada à Universidade Federal do Espírito Santo, de autoria de Walter Torezani Neto Bochetti, relata sobre a Qualidade da madeira de árvores de clone de Eucalyptus grandis x Eucalyptus urophylla inclinadas por ação de ventos para produção de celulose.

Foto Ilustrativa - Google

O setor florestal brasileiro tem desempenho crescente e é impulsionado especialmente pelas indústrias de celulose. A produtividade de madeira nos plantios, qualidade da madeira e da polpa são as principais metas almejadas e difíceis de serem conciliadas. Visando manter este desempenho, as empresas investem em pesquisa e desenvolvimento, tecnologia de produção e melhoramento genético florestal.

Dentre as metas do melhoramento genético em árvores com finalidade para produção de polpa celulósica cita-se a seleção de árvores com rápido incremento de madeira, para obter uma maior produtividade em um menor ciclo de rotação. No entanto, árvores com o fuste muito alto e diâmetro a altura do peito (DAP) pequeno, são mais propicias a serem instáveis à ação de ventos, notadamente em árvores jovens e com um menor teor de lignina. A ação dos ventos pode prejudicar irremediavelmente povoamentos inteiros, quebrando, arrancando, ou inclinando árvores de forma irreversível de acordo com a intensidade com que atuam.

Diante deste contexto, objetivou-se com este estudo a avaliação da qualidade da madeira de árvores inclinadas de clone de Eucalyptus grandis x Eucalyptus urophylla proveniente de plantios florestais afetados por ação de ventos para produção de celulose. Para tanto, avaliou-se os efeitos da inclinação do fuste em diferentes faixas, e foram estudadas as características da madeira de reação, tracionada e oposta, na região superior e inferior a inclinação, respectivamente. A produtividade do povoamento foi avaliada por meio dos parâmetros dendrométricos das árvores. A qualidade da madeira foi analisada pelas características anatômicas de fibras e vasos, densidade e composição química. O desempenho na polpação kraft foi analisado com base no rendimento depurado e número kappa. Os parâmetros dendrométricos, anatômicos, a densidade básica e a composição química da madeira foram influenciados pela inclinação do tronco.
 

Os resultados indicaram que a inclinação afetou negativamente as variáveis dendrométricas, o volume de madeira das árvores inclinadas foi reduzido; a relação cerne:alburno das árvores não foi afetado pelas diferentes faixas de inclinação analisadas; houve maior excentricidade da medula nas árvores com maior inclinação de fuste. Anatomicamente, o diâmetro vascular foi maior na madeira normal comparado com a madeira de reação, tracionada e oposta; a frequência vascular pouco foi afetada pelas faixas de inclinação; as fibras da madeira de reação das árvores inclinadas, tracionada e oposta, aumentaram em espessura de parede, largura e diâmetro do lume. A densidade da madeira das árvores inclinadas foi inferior à madeira de árvores com o fuste reto, além disto, nas árvores inclinadas, a densidade básica foi menor na madeira oposta quando comparada à madeira tracionada. A composição química da madeira foi diferente entre árvores com o tronco reto e inclinado, na madeira de reação, tracionada e oposta, foram encontrados menores teores de extrativos e lignina que na madeira normal, outro fator relevante foi o maior teor de holoceluloseproduzido pela madeira e reação. Na polpação Kraft foi observado na madeira de reação menor rendimento e menor número kappa. Por fim, considerando as propriedades tecnológicas da madeira e a avaliação kraft, percebeu que a densidade básica e a anatomia da madeira de reação das árvores inclinadas contribuiu para diminuir no rendimento depurado da polpa, e a composição química da madeira das árvores inclinadas contribuiu para obter polpas com maior teor de deslignificação.

O estudo completo pode ser lido na íntegra no site da Biblioteca Digital Florestal através do link: http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br/handle/123456789/9324


Fonte: Camila Oliveira Batista - Bolsista BIC: Biblioteca Florestal Digital



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

21/08/2019 às 16:27

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


2746 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey