Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


03/03/2015

ABAF lança programa 'Mais Árvores - Bahia'

O programa busca incentivar o produtor rural a investir no plantio e manejo de florestas comerciais para usos múltiplos com tecnologia aplicada.

Fábrica da Veracel por Gleison Rezende

A Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF), em parceria com uma série de entidades ligadas à agricultura, indústria e à formação e qualificação de mão de obra, acaba de lançar o programa ‘Mais Árvores – Bahia’. O programa tem como base o ‘Programa Mais Árvores’ (da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil/CNA) que busca incentivar o produtor rural a investir no plantio e manejo de florestas comerciais para usos múltiplos com tecnologia aplicada.

“Este programa alcança vários objetivos: o programa ABC (Agricultura de Baixo Carbono), o sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF), complementa o programa Madeira Legal (Sinduscon/SP) e contribui com uma demanda nacional que é a integração e a valorização do PME produtor e processador de madeira plantada”, explica Wilson Andrade, diretor executivo da ABAF.

O programa ‘Mais Árvores – Bahia’ será aplicado em quatro polos na Bahia – Litoral Norte, Sul, Sudoeste e Oeste – com duas vertentes. O Projeto Indústria (conduzido pelo Sindicato da Indústria do Mobiliário do Estado da Bahia/Moveba e pela Fieb/Senai) visa sensibilizar o público-alvo e formar uma cadeia produtiva estruturada e consolidada nas regiões, através do processamento industrial para uso múltiplo da madeira plantada. Já o Projeto Produção (liderado pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia/Faeb e pela CNA) prevê a aplicação imediata do ‘Programa Mais Árvores’.

Regionais

Ambos projetos do ‘Mais Árvores – Bahia’, contarão com a coordenação local das entidades regionais que agregam os silvicultores: Aspex (Associação dos Produtores de Eucalipto do Extremo Sul Bahia), Assosil (Associação dos Silvicultores do Sudoeste da Bahia), Sineflor (Sindicato das Empresas Florestais da Bahia que atua no Litoral Norte), e Aiba (Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia, no Oeste).

Projeto Indústria

O Projeto Indústria inclui um plano de trabalho inicial a ser realizado em 18 e 19 de março, em Teixeira de Freitas (BA). Faz parte o workshop “Madeira para uso múltiplo – integração de pequenos produtores e processadores”, a visita técnica à Amesul (Associação dos Moveleiros e Artefatos de Madeiras do Extremo Sul da Bahia), à Lyptus e a reunião no Fórum Florestal do Sul e do Extremo Sul da Bahia.

O workshop será realizado em 18 de março, a partir das 8h, no auditório do Parque de Exposições de Teixeira de Freitas (durante a Festa da Melancia). Inclui palestras sobre: demanda por madeira com usos múltiplos; indústria de madeira na Bahia; formação de mão de obra; organização do setor de artesanato; desdobramento industrial do eucalipto; apresentação do pólo moveleiro e experiência Amesul; demanda de peças e partes de madeira na construção civil; empreendedorismo no segmento de madeira; lei geral e incentivos para inovar; certificação, identificação geográfica e internacionalização; e oportunidade de negócios na Bahia. No final, será feito um levantamento de demandas e plano de ação a longo prazo.

PROGRAMAÇÃO WORKSHOP – 18.03.15

08h00 -Abertura

08h05 – Demanda por Madeira com Usos Múltiplos – Wilson Andrade/ABAF

08h25 – Indústria de Madeira – Fernando Barreto/MOVEBA

08h50 – Formação de Mão de Obra – Djalma Henrique Jr./SENAI

09h05 – Organização do Setor de Artesanato – Oscar Artaza/Fórum Florestal da Bahia

09h30 – Desdobramento Industrial do Eucalipto – Nicholas Petter Rogers/Lyptus

10h00 – Apresentação do Pólo Moveleiro – Amanda Gomes e Luiz del Corral (SUDIC) /Experiência AMESUL – Pedro de Jesus

10h20 – Levantamento de Demandas

12h00 – Intervalo para Almoço

14h00 – Demanda de Peças e Partes de Madeira na Construção Civil – SINDUSCON – ACOMAC

14h30 – Empreendedorismo no Segmento de Madeira – SEBRAE

14h50 – Lei Geral e Incentivos para Inovar – Fábio Teixeira/Fórum Regional MPE

15h10 – Certificação, Identificação Geográfica e Internacionalização – CIN (FIEB)

15h30 – Levantamento de Demandas e Plano de Ação

17h30 – Conclusões e Encerramento


Fonte: Rota51.com



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

22/02/2019 às 06:16

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas

COLHEITA DE CHUVAS NO CAMPO


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1449 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE   |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey