Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


30/01/2015

ANO INTERNACIONAL DOS SOLOS DEVE VALORIZAR A PRESERVAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS

Ilustração: FAO
Depois de dedicar o ano de 2014 para a agricultura familiar, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) anunciou que 2015 será o Ano Internacional dos Solos (AIS 2015). A iniciativa pretende colocar em evidência o recurso natural não renovável e atentar a população para a necessidade de maior preservação do solo.

"O assunto é solo, justamente por ser um recurso natural, que é a base produtiva para a produção de alimentos saudáveis e de qualidade. Estamos perdendo os solos e precisamos colocar mais atenção na preservação dessa base produtiva. A ideia é que os produtores tomem consciência do que está ocorrendo com os solos e como podemos ter boas práticas de preservação", afirma o representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic.

Segundo Bojanic, a FAO pretende usar o ano para melhorar a relação dos produtores com os solos, fazendo com que os agricultores produzam mais, preservando o recurso natural. "No ano da Agricultura Familiar demos maior importância para a dimensão social, agora estamos dando enfoque na dimensão ambiental, do recurso e da relação entre meios de produção e pessoas. Estamos pensando na necessidade de produzir alimentos para o futuro conservando os solos", diz.

Para o coordenador da Assessoria Internacional do  Ministério do Desenvolvimento Agrário  (MDA), Caio França, a agricultura familiar é protagonista na preservação e recuperação do solo, mesmo com áreas de até quatro módulos fiscais. "Necessariamente, os produtores não podem deixar o solo se degradar. Há uma preocupação fundamental de todos os envolvidos na agricultura familiar em preservar esse recurso natural. O AIS 2015 vai orientar tanto os agricultores como os órgãos de governo na preservação do solo", salienta o coordenador.

No Brasil, o  Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento  (MAPA) é o órgão responsável por difundir o AIS 2015. A pasta criou um comitê, unindo Governo Federal e sociedade civil para promoverem o assunto. Uma série de eventos está sendo planejada para o decorrer do ano, como ocorreu com a agricultura familiar no ano passado.



Fonte: Ministério do Desenvolvimento Agrário /AgrosSoft Brasil



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (5)


Lauro Nardoto Conde - Engº Agrônomo disse:

17/02/2015 às 22:19

Tenho desenvolvido trabalhos na área de Recuperação e Proteçao de Nascentes, além da recuperação de lagoas naturais na região centro norte do Rio de Janeiro. No entanto , os recursos para essas ações são de difícil acesso e esbarram, muitas vezes, na interpretação acadêmica da legislação ambiental. Como o AIS 2015 poderá nos auxiliar na agilização do carreamento de recursos para as práticas de Recuperação de solos degradados? As áreas erodidas , principalmente nas cabeceiras das bacias de contribuição das nascentes são fator de aceleração do desaparecimento de nascentes e assoreamento de córregos, rios e lagoas. Apresentamos recentemente uma proposta à CEDAE, para atuarmos diretamente nas cabeceiras e nascentes do Rio Maacuco e Reibirão Douradinho, responsáveis pelo abastecimnento de água dois Municípios de Cordeiro, Cantagalo e Macuco , cujas ações en- volverão Práticas de Conservação dos Solos, Recuperação de sua Capacidade Produtiva, Reflorestamento, Sanaeamento das moradias e comunicdades rurais, além da construção de pequenas barragens para acumulação de água nas cabeceiras, como forma de realimentar o lençol freático , tanto a jusante, quanto a montante dessas intervenções, de acordo com resultados por nós obtidos. A questão e´: COMO AGILIZAR A IMPLEMENTAÇÃO DA PROPOSTA?

Lauro Nardoto Conde - Engº Agrônomo disse:

17/02/2015 às 22:19

Tenho desenvolvido trabalhos na área de Recuperação e Proteçao de Nascentes, além da recuperação de lagoas naturais na região centro norte do Rio de Janeiro. No entanto , os recursos para essas ações são de difícil acesso e esbarram, muitas vezes, na interpretação acadêmica da legislação ambiental. Como o AIS 2015 poderá nos auxiliar na agilização do carreamento de recursos para as práticas de Recuperação de solos degradados? As áreas erodidas , principalmente nas cabeceiras das bacias de contribuição das nascentes são fator de aceleração do desaparecimento de nascentes e assoreamento de córregos, rios e lagoas. Apresentamos recentemente uma proposta à CEDAE, para atuarmos diretamente nas cabeceiras e nascentes do Rio Maacuco e Reibirão Douradinho, responsáveis pelo abastecimnento de água dois Municípios de Cordeiro, Cantagalo e Macuco , cujas ações en- volverão Práticas de Conservação dos Solos, Recuperação de sua Capacidade Produtiva, Reflorestamento, Sanaeamento das moradias e comunicdades rurais, além da construção de pequenas barragens para acumulação de água nas cabeceiras, como forma de realimentar o lençol freático , tanto a jusante, quanto a montante dessas intervenções, de acordo com resultados por nós obtidos. A questão e´: COMO AGILIZAR A IMPLEMENTAÇÃO DA PROPOSTA?

Lauro Nardoto Conde - Engº Agrônomo disse:

17/02/2015 às 22:19

Tenho desenvolvido trabalhos na área de Recuperação e Proteçao de Nascentes, além da recuperação de lagoas naturais na região centro norte do Rio de Janeiro. No entanto , os recursos para essas ações são de difícil acesso e esbarram, muitas vezes, na interpretação acadêmica da legislação ambiental. Como o AIS 2015 poderá nos auxiliar na agilização do carreamento de recursos para as práticas de Recuperação de solos degradados? As áreas erodidas , principalmente nas cabeceiras das bacias de contribuição das nascentes são fator de aceleração do desaparecimento de nascentes e assoreamento de córregos, rios e lagoas. Apresentamos recentemente uma proposta à CEDAE, para atuarmos diretamente nas cabeceiras e nascentes do Rio Maacuco e Reibirão Douradinho, responsáveis pelo abastecimnento de água dois Municípios de Cordeiro, Cantagalo e Macuco , cujas ações en- volverão Práticas de Conservação dos Solos, Recuperação de sua Capacidade Produtiva, Reflorestamento, Sanaeamento das moradias e comunicdades rurais, além da construção de pequenas barragens para acumulação de água nas cabeceiras, como forma de realimentar o lençol freático , tanto a jusante, quanto a montante dessas intervenções, de acordo com resultados por nós obtidos. A questão e´: COMO AGILIZAR A IMPLEMENTAÇÃO DA PROPOSTA?

prof. Azvd disse:

04/02/2015 às 20:01

Gostaria das mesmas info pedidas pelo Sérgio. Qual argumento a ponderar em um projeto para recuperação de terras e restauração dos lagos q estudo na APA de Ilha Comprida? O FNCMC pode dar verba a fundo perdido para isso, mas n sei como argumentar qual benefício da recuperação em termos de diminuição das emissões.

sérgio carlos de oliveira disse:

04/02/2015 às 10:07


Solicito informação, quanto a possibilidade , de ser disponibilizado recursos - - técnicos e financeiros - visando-se a recuperação de áreas degradadas, especialmente, no entorno de nascentes e barragens, de usos públicos múltiplos.

Convido-os, a nos assessorarem, na organização da Semana da ÁGUA , entre 14 - 22 Março / 2015.

77 9921 6777 / 9133 4327
Agradecidamente, Sérgio Carlos de Oliveira
Presidente Associação dos Usuários da Água de poções - BA

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1403 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey