Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


28/10/2014

Avaliação da projeção em classes diamétricas de um fragmento florestal e estudo do efeito de borda

Tese apresentada à Universidade Federal do Paraná de autoria de Bruno Henrique Czelusniak, relata sobre o Efeito da exclusão de faixas de borda na estrutura diamétrica de um fragmento urbano de floresta ombrófila mista em matrizes de transição.


Nos fragmentos florestais urbanos as condições naturais se encontram quase que completamente alteradas ou degradadas. Mesmo assim, tais áreas são consideradas como partes de um ecossistema original, abrigando em sua maioria testemunhos da flora arbórea da região e evidenciando a importância da sua conservação, representando um recurso precioso para a melhoria da qualidade de vida nas cidades.
            Mesmo essas áreas sendo cada vez mais comuns, ações para sua conservação e manutenção ainda são pouco conhecidas, evidenciando a necessidade de se criar e difundir o conhecimento acerca de métodos de planejamento de uso e ocupação da terra que concilie a conservação dos remanescentes naturais com a expansão urbana, respeitando o entorno das áreas naturais.     
            A obtenção de dados de distribuição diamétrica utilizando ferramentas matemáticas é uma das metodologias mais utilizadas no auxílio do planejamento do manejo florestal. Neste contexto, este estudo, realizado pela Universidade Federal do Paraná, teve como objetivo avaliar a projeção em classes diamétricas de um fragmento de Floresta Ombrófila Mista utilizando matriz de transição (Cadeia de Markov) e estudar o efeito de borda sobre as projeções geradas por este método.
            A área de estudo é um fragmento de Floresta Ombrófila Mista com área de 12,96 ha, localizado no Campus Jardim Botânico da UFPR, Curitiba – PR. A base de dados utilizada foi proveniente de três inventários 100 % (censo) realizados nos anos de 2007, 2010 e 2013 onde foram medidas, marcadas, identificadas e georreferenciadas todas as árvores com DAP acima de 10 cm. Na segunda medição (2010), além da remedição dos indivíduos anteriores, também foram observadas a mortalidade e o recrutamento de novas árvores. Para a construção da matriz de transição os diâmetros de cada ocasião foram agrupados em classes diamétricas com intervalos de 10 cm, sendo a primeira classe considerada de 10 a 20 cm e a última representada por árvores com DAP ≥ 80 cm; além disso, foram inseridas classes referentes às recrutas (R) e mortas (M).
            Os resultados demonstraram que o número total de indivíduos prognosticados para o ano de 2013 para todos os cenários estudados foi menor quando comparado aos dados reais. A diminuição do número de árvores recrutas e mortas foi quase constante a partir da utilização da área com a retirada da borda de cinco metros. O erro relativo da estimativa demonstrou um comportamento que não era esperado. A retirada de frações da área delimitada como bordas afetou de forma direta o número de árvores recrutas e mortas. A matriz de transição quando empregada para espécies não se mostrou uma ferramenta eficaz para mortalidade e recrutamento.

Trabalho na integra disponível em:
http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br/handle/123456789/9520
 


Fonte: Marina Lotti e Ana Teresa Leite - BIC: Biblioteca Digital Florestal



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

10/12/2019 às 00:24

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1588 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey