Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


22/09/2014

Setor de Base Florestal detalha a atuação em Mato Grosso

Um dos destaques é o desafio da aplicação do Plano de Desenvolvimento Florestal Sustentável (PDFS)

Empresários do setor madeireiro do MT se reuniram esta semana

Representantes do setor de base florestal de todo o Brasil, reunidos esta semana na sede da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), conheceram as ações implementadas pelo setor florestal em território mato-grossense, durante o “Intercâmbio de Lideranças Setoriais da Indústria Madeireira”.

Entre os destaques estavam o desafio da aplicação do Plano de Desenvolvimento Florestal Sustentável (PDFS), que objetiva o fomento e desenvolvimento da atividade florestal em Mato Grosso, avanços como a criação da sala de monitoramento dos Planos de Manejo Florestal Sustentável (PMFS), a redução da pauta da madeira e, mais recentemente, as tratativas para criação de um instrumento que comprove a origem legal da madeira mato-grossense. Os avanços foram detalhados pelo presidente do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem), Geraldo Bento.

Ele mencionou também as reuniões mensais realizadas com os presidentes dos oito sindicatos que integram o Cipem, além dos seminários e reuniões setoriais que contribuem para a atualização e troca de informações de interesse do segmento florestal. As orientações relacionadas à qualificação e legislação trabalhista, inclusive por meio de cartilhas, rendeu ao Cipem o reconhecimento da superintendência do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) em Mato Grosso. “Também trabalhamos a conscientização ambiental com a sociedade e apoiamos projetos na área social, como o Hospital do Câncer”, lembrou Bento.

Apesar dos avanços conquistados nos últimos 6 anos, período de atuação do Cipem, os desafios continuam surgindo, acrescentou o presidente da entidade. “Experimentamos um cenário de insegurança jurídica e a aprovação do Código Florestal nos beneficia por um lado, mas prejudica por outro”, ressaltou. “Também temos um passivo ambiental preocupante com o grande volume de resíduos sólidos e a aprovação da Instrução Normativa (IN) 21, do Ibama, torna essa situação ainda mais complicada”. Outro desafio é a agregação de valor à madeira produzida em Mato Grosso.

Presente no evento, a gerente de Desenvolvimento Associativo da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), Camila Cavalcanti disse que o objetivo do debate é reunir as lideranças empresariais do setor para discutir os desafios e propor soluções. Somente dessa forma é que se compartilham experiências que possam ser implementadas nos diferentes estados produtores. Em Mato Grosso, o setor madeireiro enfrenta dificuldades tributárias, trabalhistas e ambientais, lembrou a gerente. “A gente acredita que, se os empresários participarem mais dos seus sindicatos e das federações das indústrias, será possível conquistar um ambiente de desenvolvimento mais sustentável”, finalizou.

O presidente do Sindicato das Indústrias Madeireiras e Moveleiras do Noroeste de Mato Grosso (Simno), Roberto Rios, também opinou sobre a experiência na sua base sindical. “Após 6 anos de gestão conseguimos organizar as empresas de madeira no noroeste de Mato Grosso”. Ele relatou o trabalho de esclarecimento feito com a mídia e com a comunidade local, mostrando a produção madeireira oriunda das áreas de manejo florestal. “Do jeito que exploramos a madeira no oeste de Mato Grosso a floresta nunca irá acabar”, disse Rios.


Fonte: Painel Florestal



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

19/10/2019 às 23:18

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1179 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey